Conteúdo Patrocinado
Oferecido por RTM

Plataforma de fundos de investimentos da RTM promete revolucionar a indústria

Ferramenta inédita no Brasil, o Hub de Fundos se propõe a tornar mais ágil e eficiente a comunicação e troca de documentos entre os players do segmento

Por  MoneyLab -

Diante da democratização do acesso a produtos de investimento no Brasil, a indústria de fundos cresceu 140% na última década, com patrimônio líquido que beira R$ 7 trilhões, dividido em 26 mil veículos. Diante da expansão, profissionais e empresas que operam no segmento mantêm uma busca constante de dinâmicas que possam otimizar os processos, o que tende a melhorar a experiência dos investidores.

Para facilitar esse movimento, a RTM criou o RTM Hub Fundos, plataforma que promove o ganho de escala da indústria ao centralizar dados e tornar mais ágil e eficiente a comunicação entre os players – gestores, custodiantes, administradores e distribuidores – de fundos de investimentos. “É uma solução inédita no Brasil”, afirma Aloísio Mota, gerente de Negócios da RTM.

A ferramenta, sugerida pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), foi desenhada para integrar as cotas de fundos e permite  padronizar a troca de informações entre as partes. “Como hoje cada administrador tem um padrão diferente de documentos, há ruídos na comunicação que acabam gerando atraso em processos como ordens de aplicação, resgate e portabilidade”, diz Mota.

Tecnologia a favor do segmento

Grande parte das movimentações da indústria de fundos ainda é feita de forma manual – por e-mail ou telefone ou semi-automatizada. O RTM Hub Fundos propõe automatizar toda a comunicação, o que permitirá às partes trocar informações em tempo real e com maior transparência. Essa mudança será implementada sem exigir que as instituições adaptem os seus sistemas internos.

A integralização das cotas dos fundos de investimento passará por uma plataforma de API (sigla em inglês para Interface de Programação de Aplicações), mesma tecnologia adotada pelo Banco Central para o Open Banking. A troca desses dados pelos players será feita de maneira simples, via portal de web, em um sistema totalmente seguro – com recursos de criptografia. A inovação segue todos os requisitos de compliance exigidos pela Comissão de Valores Mobiliários.

Operações facilitadas

A portabilidade de investimentos – transferência de custódia da carteira de ativos entre instituições financeiras – é uma importante facilidade que o investidor pode contar caso esteja insatisfeito com o serviço da corretora/distribuidor em que opera. Isso vale para diversos tipos de investimentos, inclusive para os fundos – que podem ser transferidos de uma instituição para outra caso as duas tenham o produto no portfólio.

A autorregulação da Anbima aponta que essa operação tem um prazo máximo de 7 a 10 dias para acontecer. “No entanto, observamos que o processo demora, em média, 30 dias por ser manual”, diz Mota. Para acabar com esse gargalo, a plataforma RTM Hub Fundos também vai incluir em suas funções a ferramenta que facilita a portabilidade dos fundos. “Queremos contribuir para melhorar também a experiência do investidor, automatizando o processo e reduzindo os prazos para a transferência de fundos de investimento”, diz Mota.

Outra função que estará disponível aos usuários é a liquidação pela Clearing (B3). O objetivo é oferecer às instituições a simplificação da estrutura operacional com a possibilidade de utilizar o mesmo processo para liquidação de ativos de renda fixa e renda variável para cotas de fundos de investimento.

A plataforma RTM Hub Fundos está em processo de finalização e entrará em produção no dia 01 de março de 2022. As instituições que aderirem a plataforma neste ano poderão utilizá-la de maneira gratuita até dezembro. Mais informações podem ser acessadas no site.

 

 

 

Compartilhe