Criptomoeda

Parceiros do Facebook em projeto Libra hesitam em adesão formal

As empresas que assinarem oficialmente a carta não serão obrigadas a contribuir imediatamente com US$ 10 milhões

arrow_forwardMais sobre
Libra, criptomoeda do facebook
(Shutterstock)

(Bloomberg) — Quatro empresas de pagamento que se juntaram ao Facebook como membros fundadores da Libra Association estão relutantes em assinar oficialmente o projeto da criptomoeda, de acordo com pessoas a par do assunto.

Visa, Mastercard, PayPal Holdings e Stripe estão indecisas quanto a assinar formalmente a carta organizadora da Libra, porque estão preocupadas em manter um bom relacionamento com reguladores que, por sua vez, têm reservas sobre o projeto, disseram as pessoas.

Os executivos das empresas de pagamentos acreditam que o Facebook exagerou ao afirmar que reguladores estavam confortáveis com o projeto e estão preocupados com a percepção de que a rede social não tem atuado de maneira responsável em outras áreas – como a forma de lidar com dados e privacidade dos usuários, disseram as pessoas.

PUBLICIDADE

A Libra Association pediu aos 28 membros fundadores que reafirmem seu compromisso com o projeto da criptomoeda ainda este mês, segundo três pessoas a par do assunto. Antes do lançamento da Libra, as empresas assinaram cartas de intenção não vinculantes para avaliar a adesão à associação.

David Marcus, o executivo do Facebook que lidera a iniciativa da Libra, tuitou na quarta-feira que a “[primeira] leva de membros da Libra Association será formalizada nas próximas semanas”. Marcus disse que não tinha conhecimento de nenhum parceiro atual da Libra que pudesse se abster de ingressar oficialmente na organização, mas afirmou que criar uma moeda global é “difícil e requer coragem”.

“Posso dizer que estamos trabalhando com muita calma e confiança diante das preocupações legítimas levantadas pela Libra ao promover conversas sobre o valor das moedas digitais”, acrescentou.

As empresas que assinarem oficialmente a carta não serão obrigadas a contribuir imediatamente com os US$ 10 milhões iniciais necessários para investir no projeto, segundo duas pessoas. A opção de adiar o pagamento reflete a estratégia da associação de avançar o projeto Libra pouco a pouco, disseram as pessoas. Isso daria aos membros mais tempo para descobrir como a participação poderia afetar o restante das operações e obrigações regulatórias das empresas, disseram.

A assinatura da carta poderá ocorrer em 14 de outubro, disseram três pessoas, e provavelmente acontecerá na Suíça, que seria a sede da organização sem fins lucrativos encarregada de administrar a reserva da moeda digital Libra e a rede global de pagamentos.

“Nada mudou em nosso envolvimento com a Libra desde que decidimos participar”, disse um porta-voz da Stripe. “Concordamos em trabalhar na carta com esses outros participantes. Continuamos a trabalhar no regulamento. Ainda estamos ativamente envolvidos.” O porta-voz não quis comentar especificamente se a Stripe tem dúvidas em assinar a carta.

PUBLICIDADE

Porta-vozes do Facebook, Visa, Mastercard, PayPal e da Libra Association não quiseram comentar.