Siderurgia

Para reduzir custos, Usiminas fechará sede às sextas-feiras pelos próximos 3 meses

A medida vigorará pelos próximos três meses e pode ser prorrogada por igual período

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A Usiminas (USIM3USIM5) comunicou nesta segunda-feira (29) ao público em geral que a partir de 3 de julho, a sede de Belo Horizonte (MG), não funcionará às sextas-feiras com intuito de reduzir custos.

A medida vigorará pelos próximos três meses e pode ser prorrogada por igual período, visando adequar os custos de pessoal e a melhoria da competitividade da companhia no cenário atual do mercado, informou a companhia em fato relevante divulgado hoje.

Em maio, a companhia decidiu desligar temporariamente os altos-fornos 1, da usina de Cubatão (SP), e 1 da usina de Ipatinga (MG), a partir de 31 de maio e 4 de junho, respectivamente, para que a produção de ferro gusa fosse reduzida em aproximadamente 120 mil toneladas por mês.

Aprenda a investir na bolsa

“Em face deste cenário econômico adverso, a Usiminas permanece trabalhando em redução de custos, mas com foco maior no aumento da eficiência operacional de suas linhas de produção”, afirmou a empresa em comunicado à imprensa.

As ações ON e PN da empresa fecharam hoje em queda de 3,58% e 0,69%, respectivamente, cotadas a R$ 13,48 e R$ 4,32. No ano, o que impressiona é a desvalorização a partir de maio, quando sua máxima alcançou os R$ 7,09, caindo quase 65% até o fechamento de hoje.

A Usiminas encerrou o primeiro trimestre com quedas de 16,5% na produção de aço, para 1,38 milhão de toneladas, e de cerca de 10% na produção de minério de ferro, para 1,46 milhão de toneladas, na comparação com o mesmo período do ano passado. O prejuízo somou R$ 235 milhões, ante resultado positivo de cerca de R$ 222 milhões nos três primeiros meses de 2014.