Crédito instantâneo

Pagamento de boleto com Pix? Bancos adotam novo serviço para empresas; veja como funciona

Opção está disponível para clientes PJ de todos os tamanhos, de microempreendedores a empresas de grande porte

Por  Giovanna Sutto -

O Banco Central vem ampliando as funcionalidades do Pix, mecanismo de transferências instantâneas. O novo recurso que acaba de ficar ativo é o pagamento por boleto.

O Santander anunciou que liberou a funcionalidade para seus clientes pessoas jurídicas nesta segunda-feira (31). Batizada de Boleto SX, por meio do internet banking, os clientes podem emitir e pagar boletos com a opção por Pix. Ou seja, além do código de barras, aparece também um código QR para crédito do valor.

“As empresas já podem, a partir desta semana, gerar o documento de cobrança com o QR Code agregado como uma funcionalidade adicional para quem paga. O código de barras com as mesmas informações será mantido em todos os boletos emitidos pelo Santander para aqueles que optarem pela forma de pagamento tradicional”, explicou a empresa em nota.

A opção está disponível para clientes PJ de todos os tamanhos, de microempreendedores individuais (MEI) a empresas de grande porte.

O Itaú já havia anunciada a opção, chamada de BoleCode, na qual os boletos são emitidos com o código de Barras e também com o QR Code Pix.

Segundo o banco, o serviço está disponível em todos os canais do banco e já pode ser incorporado por quem emite boletos com arquivo de remessa de cobrança sem impressão ou distribuição pelo Itaú.

“É como se o recebedor estivesse levando dois serviços pelo preço de um, sem abrir mão dos principais benefícios de ambos. Quem já utiliza o boleto, não terá custo adicional se optar pelo BoleCode, e caso o cliente final faça o pagamento por meio do Pix, o ganho será ainda maior graças à redução no valor de emissão, já que a tarifa para pagamentos instantâneos é menor”, explica Marcos Cavagnoli, diretor de Digital Cash Management e Open Finance do Itaú Unibanco.

O Bradesco também oferece a modalidade aos seus clientes pessoas jurídicas e como nos outros bancos cobra um serviço pelo uso do Pix e seus serviços.

O InfoMoney também procurou a Caixa e o Banco do Brasil. Em nota, a Caixa, que ainda não oferece o serviço, informou pretende lançá-lo ainda neste ano. O BB não respondeu.

Por ora, a medida só vale para clientes PJ. Os clientes pessoas físicas já têm acesso ao Pix Cobrança, que gera um QR Code com o valor a ser creditado instantaneamente assim que pago.

Por que adotar o Pix no boleto?

A adoção do boleto com a opção do Pix vem crescendo porque é mais rápida: ao pagar um boleto por meio do código de barras — modo tradicional —, o tempo de compensação é de até dois dias úteis quando a operação é entre bancos diferentes. Portanto, um pagamento realizado em uma sexta-feira, por exemplo, estará disponível na conta corrente somente na terça ou na quarta-feira da outra semana.

Mas com o Pix, a liquidação é em tempo real, o pagador e o recebedor são notificados a respeito da conclusão da transação e o pagamento pode ser feito em qualquer dia e horário — seguindo as regras de funcionamento da ferramenta e respeitando a datas de vencimento do boleto.

“Com a transação via Pix, o valor é creditado instantaneamente para a empresa. Vale destacar que o controle do pagamento do documento, a conciliação bancária, fica disponível nos mesmos canais que a empresa já está acostumada a utilizar”, disse o Santander.

O Itaú também defende que a chegada da modalidade pode trazer mais eficiência para as empresas com a combinação da instantaneidade e da agilidade de liquidação do pagamento instantâneo e a praticidade e conveniência do boleto.

O Pix promete eliminar parte dos custos de transações, barateando os processos de pagamento para as empresas, e poderá também ser usado para pagar fornecedores, salários de funcionários e até tributos federais no futuro.

Vale lembrar que o QR Code já funciona há meses e grandes e pequenos empreendedores podem emiti-lo na área Pix de suas instituições para fazer cobranças.

Cobranças de taxas

Embora o Pix seja completamente gratuito para pessoas físicas, desde o lançamento do produto, o BC já havia avisado que as instituições financeiras poderiam cobrar das empresas taxas por transação ao receber ou fazer pagamentos via recurso instantâneo.

Essa taxa é opcional, definida pelas próprias instituições financeiras, e o BC já garantiu que não vai interferir no valor.

O que os bancos como Santander e Itaú vem fazendo é oferecer pacotes, que dentre outras funções Pix, incluem o pagamento de boletos. Nenhum dos bancos revelou as taxas.

Cassio Schmitt, diretor do Segmento Pessoa Jurídica do Santander, acrescentou que para o cliente PJ do Santander, as tarifas tendem a ser mais competitivas para liquidação de boletos por QR Code PIX do que pela emissão por código de barras.

Em nota, o Itaú explicou que para aderir ao boleto com pagamento via Pix, os clientes devem contratar o serviço de cobrança junto ao Itaú BBA e cadastrar a chave Pix em que preferem receber os valores.

Conheça as futuras gigantes da Bolsa e acelere sua liberdade financeira em um curso gratuito: assista!

Compartilhe