Netflix (NFLX34) se blinda de greve em Hollywood com equipe global e sólida linha de produção

Atores se juntaram à greve dos roteiristas de cinema e televisão, forçando os estúdios norte-americanos a interromperem as produções

Reuters

Publicidade

(Reuters) – Investidores da Netflix (NFLX34) avaliarão os riscos decorrentes da greve em Hollywood quando a empresa divulgar seus resultados trimestrais na quarta-feira (19), mas analistas afirmam que a empresa está bem posicionada devido à sua sólida linha de produção de filmes e séries e à sua equipe de produção internacional.

Atores de Hollywood se juntaram à greve dos roteiristas de cinema e televisão, forçando os estúdios norte-americanos a interromperem as produções enquanto os trabalhadores exigem melhores salários na era da TV por streaming.

Algumas das pessoas em greve também estão fazendo piquetes nos escritórios da Netflix em Los Angeles.

Continua depois da publicidade

Mas a gigante do streaming, que deve reportar seu maior aumento de assinantes do segundo trimestre desde 2020, provavelmente continuará lançando títulos como “Agente Stone”, estrelado por Gal Gadot, e a 5ª temporada de “Brincando com Fogo”.

As capacidades de produção internacional da Netflix são um “grande diferencial”, e grande parte de seu conteúdo vem de países que não estão envolvidos na greve, afirmaram analistas de SVB MoffettNathanson, Credit Suisse e Insider Intelligence.

Além disso, a Netflix não está vinculada às partes da indústria do entretenimento que estão enfrentando dificuldades, como teatro e televisão aberta, segundo Michael Nathanson, analista da SVB MoffettNathanson.

Na semana passada, três corretoras elevaram suas avaliações para os papéis da Netflix, enquanto cinco elevaram seus preços-alvo.

A repressão da Netflix ao compartilhamento de senhas também está rendendo resultados, e seu plano mais barato com suporte a anúncios está conquistando mais adeptos, à medida que a empresa enfrenta a concorrência de Disney+ e Prime Video, da Amazon.

Espera-se que a Netflix tenha ganhado 1,77 milhão de assinantes líquidos, de acordo com a Refinitiv, em um trimestre normalmente fraco devido às férias escolares. A empresa perdeu quase 1 milhão de assinantes no mesmo período do ano anterior.

(Reportagem de Samrhitha Arunasalam em Bengaluru)