Do Zero ao Topo especial

“Nossas fábricas não voltarão ao que eram antes por no mínimo seis meses”, diz fundador da Multilaser

A entrevista acontecerá no Instagram do InfoMoney a partir das 19h

SÃO PAULO – A fabricante de eletroeletrônicos Multilaser está entre as grandes companhias brasileiras que mais sentiram o impacto do coronavírus em suas operações.Com um catálogo de mais de 3,5 mil produtos, entre eles celulares, tablets e teclados, a empresa depende de 450 fábricas parceiras na China. A crise fechou fábricas do país asiático de deixou a Multilaser sem ter o que fazer.

Não bastasse esse cenário, quando a pandemia chegou ao país, a empresa foi obrigada a tomar medidas também a montagem de produtos em suas fábricas em Minas Gerais e Manaus. Hoje, a Multilaser mantém as operações com cerca de 40% da produção do período pré-crise e Alexandre Ostrowieck, CEO da companhia, estima que as fábricas não voltarão ao que eram antes por um período de no mínimo seis meses.

PUBLICIDADE

“A gente ainda não está no pior período dessa crise. A economia ainda vai piorar, as empresas ainda vão sofrer e é preciso estar preparado”, afirma Ostrowieck. As afirmações foram feitas durante uma live no instagram do InfoMoney na terça-feira (14). Veja a entrevista completa no player acima ou clique aqui.

Entrevistas com empresários

A live faz parte de uma série especial do podcast Do Zero ao Topo para falar sobre gestão de negócios em tempos de crise. As entrevistas são apresentadas por Letícia Toledo, que comanda o podcast.

Ao longo dos próximos dias o Do Zero ao Topo realizará uma série de outras entrevistas para falar sobre a crise em diferentes setores. Confira a programação:

Quinta-feira (16/04) – 16h30
Ricardo Ribeiro, CEO da Direcional Engenharia
Onde: Youtube

Sexta-feira (17/04) – 9h
Miguel Gularte, diretor-presidente da Marfrig
Onde: Youtube