Déjà vú

MMX dispara mais de 6% após Eike garantir aumento de capital

Em aumento de capital de R$ 1,4 bilhão, controlador irá subscrever todas as ações que não forem compradas pelos acionistas

*Atualizada às 11h50 (horário de Brasília)

SÃO PAULO – Em uma sensação de déjà vú, as ações da MMX Mineração (MMXM3) disparam nesta terça-feira (4) após o controlador Eike Batista se comprometer a comprar todas as ações que não forem subscritas no aumento de capital. Assim, ele garante que a empresa será capitalizada em R$ 1,36 bilhão.

Segundo cotação das 11h42 (horário de Brasília), os papéis da mineradora de Eike avançavam 5,38%, aos R$ 3,92, entre as maiores altas do Ibovespa no dia. No mesmo momento, o principal índice de ações da bolsa sobe 0,29%. Na máxima do dia, a ação chegou a subir 10,2%, aos R$ 4,10.

No fim de outubro uma operação semelhante aconteceu com a petrolífera do grupo. As ações da OGX Petróleo disparavam mais de 8% no início do pregão após uma opção do controlador para capitalizar a empresa em R$ 1 bilhão. Mas naquela mesma sessão o papel perdeu força e fechou com alta de apenas 2,59%.

Na época, Eike enfatizou que essa opção em capitalizar a OGX demonstrava a confiança dele na empresa, assim como nas oportunidades que o setor propiciava.

Injeção garante expansão de Serra Azul
Para a equipe de análise da XP Investimentos, essa capitalização pode parecer negativa à primeira vista, dado que a emissão de ações equivale a 55% do capital social e pode gerar diluição considerável aos acionistas. A postergação da entrada em operação do Porto Sudeste para o último trimestre do próximo ano também é avaliada como ruim.

“No entanto, a subscrição privada denota o compromisso de seu grupo controlador em garantir as condições da empresa executar seus projetos”, ponderam os analistas, em relatório. Essa injeção de dinheiro na mineradora, em conjunto com financiamento de longo prazo aprovado pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), deve garantir a expansão da Unidade Serra Azul, complementam.

Já os papéis MMXM11 (título que dá o direito a receber US$ 5 por tonelada embarcada no Porto Sudeste, reajustado pelo PPI, índice de preços ao produtor norte-americano) saltam 8,02%, aos R$ 3,50. Com 78 negócios, o volume negociado é de R$ 25,2 milhões, muito acima da média diária dos últimos 21 dias, de R$ 3,5 milhões. 

Subscrição a R$ 3,92
As ações da MMX serão subscritas a R$ 3,92, acima da cotação do último fechamento (R$ 3,72). Os acionistas que tiverem as ações da empresa nesse fechamento terão preferência para subscrever as 348,9 milhões de ações que serão emitidas pela empresa.

PUBLICIDADE

Esse direito deve ser exercido entre o dia 5 de dezembro e 18 de janeiro, à razão de 0,558850724 novas ações por cada papel detido pelo acionista.