Entrevista

Marisa foca em aumento de venda em mesmas lojas, diz diretor de RI

Companhia tem investido em novos setores e no segmento virtual

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A Marisa (AMAR3) tem como objetivo incrementar o volume de vendas por metro quadrado. A empresa tem focado em investir em novos setores nas lojas, abrir mais unidades e melhorar a loja virtual, segundo disse o Diretor de Finanças e Relações com Investidores da Marisa, Paulo Borsatto, ao Portal InfoMoney.

Neste ano, serão inaguradas 33 – sendo que 26 já foram abertas – e para no ano que vem, o intuito é a abertura de outras 50, espalhadas pelo País.

Com os novos setores estreados, como a linha de roupas voltadas para trabalho, para números maiores e a de calçados, a empresa obteve acréscimo de 17,2% no volume de vendas pelo conceito mesmas lojas, na base anual de comparação. 

Já a loja virtual será remodelada, para elevar o montante vendido no segmento de compras online, que, atualmente, corresponde a apenas o volume equivalente ao de uma grande loja, conforme diz Borsatto.

Marisa ganha impulso no final do ano
O diretor avalia que demorou para que a empresa mostrasse vigor neste ano. De acordo com ele, o cenário mais fraco macroeconômico no início de 2012 colaborou para reduzir o apetite das consumidoras.

“O prolongamento do IPI (Imposto sobre Produto Industrializado) contribuiu para inibir ainda mais a demanda das mulheres por vestuário e só agora vimos o consumo, que estava reprimido, se recuperar”, ressaltou.

Borsatto acrescenta que o forte desempenho registrado no trimestre passado foi calcado na abertura de lojas e na redução de despesa. 

Resultados
A companhia registrou lucro líquido de R$ 66,3 milhões no terceiro trimestre de 2012, com aumento de 95% em relação ao mesmo período do ano passado. Já a receita líquida da companhia alcançou R$ 729,9 milhões ou 30,7% acima dos R$ 558,3 milhões do calendário anterior.

As vendas pelo critério “mesmas lojas” (unidades abertas há mais de um ano) avançaram 17,2%, em ritmo mais forte do que os 6,9% do terceiro trimestre de 2011.  Por sua vez, o Ebitda (resultado operacional) da varejista subiu 48,9% na comparação anual, para R$ 124,6 milhões entre julho e setembro.

PUBLICIDADE

A dívida líquida ao fim de setembro era de R$ 513,8 milhões, com alta de 45% no confronto com um ano antes. A relação entre dívida líquida e Ebitda foi de 0,82 vez para 1,26 vez na passagem anual. Segundo o diretor, a meta da empresa é de economizar R$ 52 milhões neste ano. Do montante, R$ 42 milhões já deixaram de ser gastos.