Marfrig registra a maior alta do Ibovespa pela segunda semana consecutiva

Papéis avançaram 12,23%, cotados a R$ 8,81, e deram continuidade ao bom momento iniciado após o resultado trimestral

SÃO PAULO – As ações da Marfrig (MRFG3) figuraram pela segunda semana consecutiva como a principal alta do Ibovespa. Entre os dias 21 e 25 de novembro, os papéis avançaram 12,23%, cotados a R$ 8,81. No mesmo período, o índice recuou 3,24% e chegou aos 54.894 pontos.

Apesar dos resultados positivos nas últimas semanas, as ações da companhia ainda acumulam perdas no ano de 42,72%, enquanto o benchmark apresenta uma desvalorização de 20,76% no mesmo período. 

A Marfrig iniciou a “boa fase” no índice após a divulgação dos resultados do terceiro trimestre, apresentados em 11 de novembro. Segundo o analista da Um Investimentos, Luis Gustavo Pereira, a partir deste momento percebeu-se o esforço da companhia para diminuir o nível de endividamento e melhorar os múltiplos, principalmente do Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) .

PUBLICIDADE

Resultado animou investidores
De acordo com Pereira, o resultado trimestral mostrou o histórico da empresa com margens melhores – que estavam comprimidas -, além dos esforços para melhorar os níveis de endividamento. “Houve um incremento no número de negociações de Marfrig e o que está puxando [a alta] é o ânimo dos investidores com a possível melhora desses níveis operacionais”, ressalta. 

O analista lembra que os ativos da Marfrig eram os que mais caíram no ano e que a companhia está apenas conseguindo recuperar parte destas perdas. “A empresa chegou a cair 60% em 2011, atingindo mínimas históricas perto de R$ 5,59 no final de setembro, e desde então os papéis têm melhorado”. 

Marfrig e JBS repetem cenário da semana anterior
A Marfrig passa por um rali ao lado das ações da JBS (JBSS3) – que registrou a segunda maior alta do Ibovespa entre 21 e 25 de novembro, com uma valorização de 8,32%, a R$ 5,86. As empresas frigoríficas repetiram as posições obtidas no índice durante a última semana.

O analista da Um Investimentos menciona que as ações da Marfrig estavam “esquecidas pelo mercado”, quando em agosto chegaram a cair 40% com a saída da GWI  – – do negócio. Contudo, agora os ativos se transformaram em um investimento atrativo para o longo prazo.”A melhora no endividamento e no operacional da companhia trouxe um fluxo comprador para o papel novamente”, afirma.

Outros destaques
Outros papéis que também se destacaram positivamente além de Marfrig e da JBS foram os pertencentes à Copel (CPLE6, R$ 34,99, +4,48%), Souza Cruz (CRUZ3, R$ 23,05, +4,11%), Gafisa (GFSA3, R$ 5,35, +3,28%), e Duratex (DTEX3, R$ 8,55, +2,89%).