Nervoso

Marfrig cai mais de 11% após BNDES ser convocado para prestar explicações

Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público pediu para que o BNDES explicasse uma conversão de debêntures em ações

SÃO PAULO – Nervoso, o mercado penaliza a Marfrig (MRFG3), que vê as suas ações recuarem 11,03% por volta das 16h30 (horário de Brasília) desta segunda-feira (3), atingindo os R$ 10,32, chegando a ativar o seu “circuit breaker”. O papel, próximo à sua mínima diária, já movimentou R$ 37,3 milhões nesta sessão – acima de sua média diária dos últimos 21 dias, de R$ 22,6 milhões.

Isso ocorre após a Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados pedir que o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) explicasse sua relação com o Marfrig. “Em relação ao conteúdo, que a gente não tem acesso, é sobre conversão de debêntures em ações, mas abre a suspeita de irresponsabilidades na concessão de crédito”, afirma Carlos Müller, analista da Geral Investimentos. 

Suspeita e crédito são duas palavras que recaem com muita força sobre o Marfrig, alerta Müller. Em sua visão, a empresa – bastante alavancada – encontra muita resistência por parte do mercado graças ao estudo que a casa de research Empiricus fez sobre seus balanços e atuação do controlador sobre as ações de emissão do frigorífico – que levantou algumas irregularidades. “E qualquer dúvida, como essa, traz um peso muito negativo”, afirma. 

“E aí, qualquer notícia que sai é interpretada da pior maneira possível, já que é um papel que traz uma posição de risco muito forte”, destaca o analista. Ele destaca também que o mercado está bem nervoso ultimamente – colaborando para movimentos como esse.

A notícia também abre uma janela que permite algumas pessoas realizarem lucros. “O mercado aproveita o momento negativo para vender, e se você olhar o que a empresa tem apresentado em seus balanços, as altas recentes não possuem muita justificativa”, finaliza o analista da Geral Investimentos.