Precificação

Marfrig acentua perdas antes de precificação de oferta de ações

Papéis chegam a cair 8,5% nesta terça, após recuarem 7,67% no pregão anterior, em meio à movimentação dos investidores em formar um preço menor para a ação na oferta

*Atualizada às 11h47 (horário de Brasília)

SÃO PAULO – Após recuarem 7,67% no último pregão, as ações do Marfrig (MRFG3) estendem as perdas nesta terça-feira (4), apresentando desvalorização de 5,70%, cotadas a R$10,10 às 11h47 (horário de Brasília). Mais cedo, os ativos MRFG3 chegaram a cair 8,50% na sua mínima do intraday (R$ 9,80).

O movimento antecipa a precificação das ações que serão ofertadas pela Marfrig, cujo resultado será apresentado após o fechamento deste pregão. Geralmente, os investidores tentam derrubar as ações na Bovespa com o intuito de deixar o preço da oferta mais baixo – tendo em vista que a precificação é feita em cima da média das cotações do ativo na bolsa.

Desde sexta-feira (30) as ações da companhia apresentam desvalorização e são negociadas com volume maior do que a média. Na segunda-feira (3), os ativos movimentaram R$ 63,24 milhões – a média diária dos últimos 21 pregões gira em torno de R$ 22,6 milhões. Nesta terça, os papéis já apresentam liquidez na média dos últimos dias.

Menor participação no Ibovespa e impasse com BNDES
A nova composição do Ibovespa também colocou a empresa em evidência. Divulgada na última segunda-feira (3), a primeira prévia da carteira teórica do índice mostrou que a Marfrig foi a companhia que teve maior perda percentual de participação (12,4%), passando de 0,791% para 0,693%.

O impasse envolvendo o frigorífico e o governo também aparecem no radar dos investidores. Recentemente, a Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados pediu ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para que explicasse sua relação com o Marfrig. Segundo analistas, o teor do documento, sem acesso público, é a conversão de debêntures em ações, mas abre a suspeita de irresponsabilidades na concessão de crédito.