Segundo Folha

Luma trader? Ex-mulher de Eike é acusada de ganhar 27% na Bolsa com “insider trading”

Associação de acionistas minoritários quer que MPF investigue negócios da modelo Luma de Oliveira com ações da MPX, agora Eneva, empresa de energia fundada por Eike Batista

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Uma associação de investidores pediu ao Ministério Público Federal que investigue os negócios da modelo Luma de Oliveira com as ações da MPX, agora Eneva (ENEV3), empresa de energia fundada pelo seu ex-marido Eike Batista. As informações são da Folha de S. Paulo

A ANA (Associação Nacional de Proteção dos Acionistas Minoritários) alega que Luma teria comprado as ações da companhia com informações privilegiadas fornecidas por Eike, em uma operação de insider trading, crime financeiro que pode levar à prisão.

Segundo Aurélio Valporto, economista da associação, à Folha, a queixa é baseada em um trecho do livro “Tudo ou Nada”, da jornalista Malu Gaspar, e que teriam sido confirmados por fontes da associação no mercado financeiro.

Aprenda a investir na bolsa

De acordo com um trecho do livro, a ex-mulher de Eike teria comprado 508.600 ações da MPX cerca de um mês antes do anúncio de uma grande parceria da empresa com a alemã E.ON. Em 11 de janeiro de 2012, foi divulgado ao mercado que a E.ON iria injetar cerca de R$ 1 bilhão na companhia por 11,7% da MPX. Nas semanas seguintes, Luma teria zerado sua posição na companhia e obtido um lucro de 27% com a operação, segundo a denúncia da associação.