Bancos

Líder no setor, Bradesco nega IPO para área de seguros

Estrutura atual permite ganhos de sinergias; Luiz Carlos Trabuco também volta a dizer que rumores de compra do Santander são infundados

SÃO PAULO – Depois do Banco do Brasil (BBAS3) anunciar no fim do ano passado a separação de sua área de seguros e a abertura de capital do segmento, o Bradesco (BBDC4), que tem a liderança no setor, negou nesta segunda-feira (28) seguir o mesmo caminho.

“Não é nosso objetivo fazer um IPO (Initial Public Offering)”, disse Luiz Carlos Trabuco, diretor-presidente do Bradesco, em teleconferência com jornalistas. Ele diz que a estratégia é manter as sinergias que as operações da área de seguros geram com as demais áreas do banco.

Marco Antônio Rossi, diretor vice-presidente, diz que apesar da liderança no setor a baixa penetração do setor de seguros no país oferece uma boa oportunidade, sobretudo no varejo. No ano passado, o lucro do Grupo Bradesco Seguros e Previdência foi de R$ 3,58 bilhões, um avanço sobre os R$ 3,20 bilhões de 2011.

Segundo estimativas do banco, o volume de recursos no mercado brasileiro de seguros deve atingir R$ 290 bilhões neste ano, crescimento de 13% sobre o ano anterior.

A equipe do Bradesco também diz que o momento econômico brasileiro é favorável ao setor, com indicadores positivos de emprego e renda da população, permitindo a ascenção de camadas da população que até então não tinham acesso ao setor de seguros. Cerca de 40% da carteira do Bradesco Seguro e Previdência pertence à classe C.

Ainda sobre movimentos de mercado, o presidente Trabuco voltou a classificar os rumores com relação à compra do Santander (SANB11) como infundados. “Não temos nenhuma perspectiva de aquisição. Não temos necessidade, a estrutura está completa”, disse, ao ressaltar que a estratégia do Bradesco prioriza o crescimento orgânico.