Em negocios / inovacao

WhatsApp é proibido em mais países do que qualquer concorrente

É o que diz um estudo da Freedom House, uma organização sem fins lucrativos de Washington

Facebook Whatsapp
(Reuters)

SÃO PAULO – Em 2016, as plataformas de mídia social, aplicativos de comunicação e seus usuários enfrentaram ameaças maiores do que nunca em uma aparente reação contra o crescente envolvimento dos cidadãos, particularmente durante épocas politicamente sensíveis. E, devido a isso, muitos aplicativos como WhatsApp, Facebook e Twitter foram proibidos de serem usados em determinados países, segundo um estudo da Freedom House, uma organização sem fins lucrativos de Washington. 

A pesquisa mostra que o WhatsApp é o aplicativo mais banido entre os 24 territórios que adotaram medidas de proibição considerando que seu uso não é permitido em 12, seguido pelo Facebook com 8.

Dos 65 países avaliados, 24 impediram o acesso às mídias sociais e ferramentas de comunicação, em 2016. Os governos em 15 países costumam desligar temporariamente o acesso a toda a internet ou às redes de telefonia móvel, apenas para impedir que os usuários divulguem informações através das mídias sociais. 

Quando se trata de usuários presos por causa do aplicativo, a rede social de Zuckerberg lidera o ranking com prisões em 27 territórios, seguido pelo YouTube em 12 países.

A pesquisa avalia 7 plataformas: Facebook, WhatsApp, Twitter, YouTube, Telegram, Skype e Instagram. O estudo não divulgou os nomes dos países pesquisados. 

Confira o ranking completo com o número de países onde os aplicativos foram proíbidos e quantos causaram prisões:

Estudo freedomHouse

 

Contato