Em negocios / grandes-empresas

Caixa tem lucro líquido de R$ 4,2 bilhões no 2º trimestre, alta de 21,6% em 1 ano

Em relação aos três meses imediatamente anteriores o crescimento foi de 7,4%

caixa econômica federal
(Shutterstock)

A Caixa Econômica Federal apresentou lucro líquido contábil de R$ 4,212 bilhões no segundo trimestre, cifra 21,6% maior que um ano antes, de R$ 3,464 bilhões. Em relação aos três meses imediatamente anteriores o crescimento foi de 7,4%.

O resultado do banco no segundo trimestre foi impulsionado, conforme explica relatório que acompanha suas demonstrações financeiras, pelo aumento de 12,4% na margem financeira, receitas de serviços estáveis e leve redução nas despesas administrativas.

No semestre, o lucro líquido contábil da Caixa totalizou R$ 8,132 bilhões, número 22,2% superior ao registrado no mesmo intervalo do ano passado, de R$ 6,655 bilhões. "O resultado alcançado no semestre demonstra que a atuação da empresa está ancorada em uma sólida base de geração de lucros recorrentes, originada, essencialmente, em sua robusta capacidade operacional", destaca o banco, em relatório.

A carteira de crédito da Caixa totalizou R$ 682,445 bilhões no segundo trimestre, queda de 0,5% ante o primeiro trimestre e de 1,9% em um ano. Tanto o segmento de pessoa física quanto o de jurídica encolheram no período, mas o destaque foi o segmento corporativo.

A Caixa encerrou junho com R$ 1,312 trilhão em ativos totais, cifra 3,3% maior em um ano. Em relação a março a alta é de 1,6%. Seu patrimônio líquido soma R$ 86,447 bilhões no segundo trimestre, aumento de 9,6% em um ano e de 1,0% no comparativo trimestral.

O retorno (ROE, na sigla em inglês) ficou em 15,63% ao fim de junho, redução de 0,23 ponto porcentual ante março e de 2,25 p.p. em 12 meses.

Invista melhor o seu dinheiro. Abra uma conta gratuita na XP. 

A Caixa informa ainda que foi retirada a ressalva do balanço no segundo trimestre por conta de investigações da Polícia Federal envolvendo o banco público, conforme antecipou a Coluna do Broadcast, do sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, em 21 de junho. "Com a chegada da nova gestão e a conclusão das investigações internas, a ressalva do balanço foi retirada", destaca o banco, acrescentando que não houve qualquer ajuste nas demonstrações contábeis da instituição decorrente do processo investigativo.

Recorrente

Considerando ajustes, o lucro líquido recorrente da Caixa foi de R$ 3,704 bilhões, cifra 3,0% maior ante o segundo trimestre de 2018, de R$ 3,596 bilhões. A diferença entre o lucro líquido contábil e o recorrente se dá, principalmente, por conta do impacto positivo de R$ 2,279 bilhões com a venda das ações da Petrobras. Já do lado negativo o banco cita R$ 599 milhões em impairments de debêntures devido a recuperação judicial de grupos específicos e R$ 683 milhões em gastos com programa de desligamento voluntário de funcionários (PDV).

No semestre, o lucro líquido recorrente da Caixa somou R$ 7,558 bilhões, elevação de 3,0% ante o mesmo período do ano passado, de R$ 7,340 bilhões.

 

Contato