Em negocios / grandes-empresas

Google cresce em NY antes da chegada da Amazon

Ambas as empresas terão novas sedes na cidade de Nova York 

Nova York
( Tinnaporn Sathapornnanont / Shutterstock.com)

A capital financeira dos EUA está sendo colonizada pelo Vale do Silício. Com a expansão planejada pelo Google em Nova York, que custará US$ 1 bilhão, a companhia se tornará o maior inquilino de escritórios da cidade entre as grandes empresas de tecnologia -- mas só até a chegada da Amazon.

O Google atualmente ocupa o 12º lugar em espaços de escritórios alugados em Manhattan, com 167.225 metros quadrados, incluindo dois acordos anunciados na segunda-feira, segundo a Cushman & Wakefield. A empresa, uma divisão da Alphabet, também assinou uma carta de intenções para ocupar cerca de 120.000 metros quadrados de espaço no número 550 da rua Washington, o que a passaria para o sexto lugar da lista, com 288.000 metros quadrados, segundo cálculos da Bloomberg.

“Quando os Googles e as Amazons do mundo anunciam decisões como essa, as outras empresas de tecnologia não necessariamente correm para fazer o mesmo, mas percebem que este é um lugar onde é preciso estar”, disse Peter Muoio, economista-chefe da Ten-X Research, uma unidade da empresa imobiliária Ten-X Commercial. “Consolida-se assim o fato de que este não é apenas uma espécie de mercado secundário, está realmente virando uma capital da tecnologia.”

A líder da lista é a empresa de coworking WeWork e grandes nomes do setor financeiro, como JPMorgan Chase, Citigroup e Morgan Stanley, segundo a Cushman & Wakefield. O investimento mais recente do Google ajuda a consolidar sua posição de maior ocupante de espaços de escritório de Manhattan entre as maiores empresas de tecnologia.

O Google informou na segunda-feira que fechou acordos de locação pelos números 315 e 345 da rua Hudson, o que somaria cerca de 37.000 metros quadrados. Os acordos, juntamente com a rua Washington, criarão um campus chamado Google Hudson Square, informou a empresa.

Mesmo com a expansão, o total ainda é bastante inferior ao da Amazon, que planeja adicionar até 740.000 metros quadrados em espaço comercial do outro lado do rio, no bairro de Long Island City, no Queens, ao longo de 15 anos. A Apple também anunciou recentemente a intenção de crescer na Big Apple.

Além dos espaços alugados, o Google também possui imóveis e realizou algumas das maiores aquisições da história de Manhattan. Em 2010, a empresa comprou o edifício localizado no número 111 da Oitava Avenida, sua sede em Nova York, por US$ 1,8 bilhão. E neste ano pagou US$ 2,4 bilhões pelo Chelsea Market, perto dali.

 

Contato