Em negocios / grandes-empresas

Ações da Tesla caem 7% após entrevista de Elon Musk para o New York Times

Entrevista abordou o tuíte polêmico de Musk sobre fechar o capital da Tesla e também problemas pessoais do executivo

Elon Musk
(Reprodução)

SÃO PAULO - As ações da Tesla chegaram a cair 7% nesta sexta-feira (17) após a publicação da entrevista que o CEO da companhia, Elon Musk deu ao jornal The New York Times. Nela, como mostramos aqui, o CEO disse não se arrepender de ter tuitado sobre a ideia de tirar a Tesla da bolsa e que o financiamento para tal estava "garantido".

Musk ainda comentou que seu objetivo ao publicar o "comunicado" era de dar mais transparência sobre a Tesla e os momentos que a companhia enfrenta. Ele ainda contou que a publicação não teve a aprovação de nenhuma pessoa da Tesla e que ele a fez quando estava a caminho do aeroporto para uma viagem até a Tesla Gigafactory, onde a empresa trabalha em baterias.

O CEO quebrou diversas regras da SEC com seu "comunicado", mas a questão que preocupou o mercado foi a promessa de financiamento "garantido", que também motivou a Comissão a abrir uma investigação formal.

Apesar de todos os problemas que enfrenta e da pressão de membros do conselho, Musk disse também na entrevista que não pretende parar de usar suas redes sociais. "Por que eu faria isso?".

Ele ainda foi aberto sobre problemas de sua vida pessoal que tem passado, em grande parte, por conta de estresse sobre a Tesla. Em algumas semanas, disse ter trabalhado 120 horas: "Eu cheguei a ficar três a quatro dias na fábrica da Tesla, sem sair na rua", contou. "Eu pensei que o pior já havia passado, realmente pensei. O pior já passou quando falamos da operação da Tesla, mas, quando falamos de problemas pessoais, o pior ainda está por vir", afirmou.

As ações da Tesla já acumulam queda de 3,2% no ano após a baixa desta manhã.

Invista seu dinheiro construa um patrimônio. Abra sua conta na XP Investimentos.

 

Contato