Negócio de US$ 2,1 bilhões

Google anuncia aquisição da Fitbit, grande concorrente do Apple Watch

Ao adquirir a Fitbit, o Google coloca-se como uma possível ameaça ao monopólio do mercado de relógios inteligentes da Apple

arrow_forwardMais sobre
Smartwatch da Fitbit
(Shutterstock)

SÃO PAULO – O Google anunciou nesta sexta-feira (1) aquisição da empresa Fitbit, empresa de relógios e pulseiras inteligentes por US$ 2,1 bilhões (cerca de R$ 8,35 bilhões, na conversão direta), o que corresponde a cerca de US$ 7,35 por ação.

Ao adquirir a Fitbit, o Google coloca-se como uma possível ameaça ao monopólio do mercado de relógios inteligentes da Apple, já que o investimento de peso no segmento pode sinalizar que o gigante da internet pretende se aventurar no mercado de smartwatches.

Segundo a consultoria Strategy Analytics, a Apple possui cerca de 46,4% do mercado de relógios inteligentes. Em segundo lugar está a Samsung, com 15,9%. Já a Fitbit detêm uma fatia de 9,8%. Os dados da consultoria levam em consideração o volume de vendas durante os dois primeiros trimestres de 2019.

PUBLICIDADE

Rick Osterloh, vice-presidente sênior de dispositivos e serviços do Google, anunciou a decisão em um post no blog da oficial companhia. Já a Fitbit, por meio de um comunicado, confirmou a venda e disse que o negócio será concluído nos primeiros meses de 2020.

“O Google permanece comprometido com o Wear OS e seus parceiros de ecossistema. Isso [aquisição da Fitbit] é uma oportunidade enorme de investir ainda mais no nosso sistema operacional.”, escreveu o executivo do Google no post.

Leia também
Pelo 10º ano, Google lidera ranking das empresas preferidas entre universitários

O Wear OS é o sistema operacional do Google feito exclusivamente para smartwatches. O sistema, porém, não é muito popular como o sistema Android é para os smartphones.

A companhia ainda não possui seu próprio modelo de relógio inteligente e as marcas com grande volumes de vendas, como Apple e Samsung, possuem seus próprios sistemas operacionais. Ambos fatores dificultam a expansão do Wear OS.

“Dados não serão usados para anúncios do Google”

De acordo com um comunicado da Fitbit enviado à imprensa, a empresa levará a sério a privacidade dos dados de saúde e condicionamento físico dos seus usuários. Na nota, a empresa deixa claro que as informações sensíveis dos consumidores não serão usadas para direcionar anúncios do Google.

PUBLICIDADE

Os aparelhos da Fitbit possuem ótimos hardwares, o que pode fornecer um terreno ideal para o desenvolvimento do Wear OS e, no futuro, uma integração excelente entre relógios inteligentes e celulares Android.

Por outro lado, as habilidades de software do Google e o amplo suporte que a empresa oferecerá à Fitbit podem ajudar os smartwatches da companhia, como o Versa, a serem um pouco mais inteligentes.

Invista seu dinheiro com quem conhece do assunto. Abra sua conta na XP Investimentos – é grátis