Aumento de participação

Fundo ‘dobra aposta’ no Pão de Açúcar ao comprar quase R$ 700 mi em ações em 2 dias

Oppenheimer Funds sai de uma participação de 5,24% do capital da rede de supermercados para 10,37%, seguindo o exemplo do que a T. Rowe Price fez com as Lojas Renner

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Parecido com o que ocorreu com a Lojas Renner (LREN3) ontem, hoje um fundo “dobrou as apostas” em Pão de Açúcar (PCAR4). A Oppenheimer Funds detinha 5,24% do capital do gigante varejista na sexta-feira (5), mas em apenas dois pregões, aumentou sua fatia para 10,37%, tornando-se o maior acionista dos papéis preferenciais da empresa. 

Levando em consideração a posição acionária da companhia na sexta, com cada ação valendo R$ 82,89, o fundo tinha aproximadamente R$ 645,90 milhões em papéis do Pão de Açúcar ou 7,792 milhões de ações. Com o papel PCAR4 valendo R$ 85,14 nesta quarta, e a Oppenheimer dobrando a sua posição nas ações, ela detém agora R$ 1,327 bilhão ou 15,584 milhões de ações da rede de supermercados. Fazendo uma simples subtração, descobrimos que o fundo gastou perto de R$ 680,964 milhões nos últimos dois dias para comprar ações do Pão de Açúcar. 

A notícia é mais interessante porque ontem, a exemplo deste aumento na participação da Oppenheimer em PCAR4, a T. Rowe Price elevou sua participação para 15,05% no capital social da Lojas Renner, o que equivale a 19.251.803 ações da varejista de moda, tornando-se assim a maior acionista individual da empresa, superando a gestora Aberdeen, que possuía 13,97% dos ativos.

Aprenda a investir na bolsa

O último dado fornecido pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários), datado em 28 de maio, mostrava a empresa americana de investimentos com 5,38% de participação – ou seja, em 7 pregões a T. Rowe Price comprou 12,32 milhões de LREN3.

As ações do Pão de Açúcar acumulam perdas de 12,87% no ano, depois de um mês de maio fraco, no qual registraram uma desvalorização de 15,86% em meio à expectativas piores sobre vendas esse ano. Já os papéis da Lojas Renner acumulam ganhos de 44,85% em 2015, o que lhe dá o posto de 4ª melhor ação do Ibovespa no ano. O principal índice da Bovespa, por sua vez, mostra uma alta de 7,44%.