Mercado imobiliário

Fundador da RBR Asset Management explica a importância dos terrenos nos negócios imobiliários

Ricardo Reis conversou com Guilherme Bueno Nett sobre como o mercado de terrenos e zoneamento impacta o mercado de imóveis

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Na última segunda-feira (17), Ricardo Reis, professor do InfoMoney, conversou com Guilherme Bueno Netto, sócio-fundador da RBR Asset Management, uma gestora de fundos imobiliários, sobre o impacto dos terrenos nos negócios imobiliários e como eles afetam a dinâmica de gestão dos empreendimentos.

Como explica Netto, grande parte dos grandes nomes da incorporação imobiliária acredita que o terreno é a parte mais importante para uma incorporadora, já que o terreno é a matéria prima de toda e qualquer obra imobiliária.

PUBLICIDADE

Todo e qualquer empreendimento imobiliário começa com a escolha do terreno em que a obra será realizada. Essa parte, além de ser uma das mais importantes para qualquer obra, é um dos fatores mais complexos.

“O mercado de terrenos é bastante complexo, pois envolve uma série de variáveis, como a parte jurídica – já que ter um bom advogado para olhar a documentação é muito importante. Hoje em dia, a parte ambiental é também muito complexa. Então é preciso olhar se um terreno está contaminado, quantas arvores tem, se está próximo a um córrego ou manancial”, explica Netto.

Fora isso, Netto ainda conta que a parte de análise de mercado também é fundamental para entender se um terreno pode ou não abrigar um empreendimento.

“Fora todas as variáveis, no terreno é preciso fazer uma analise de zoneamento por um arquiteto, um projeto, um estudo, para saber o que cabe ou não naquele terreno. Depois, é preciso ver o que o mercado imobiliário quer naquela localização”

Como exemplifica Netto, terrenos com as mesmas dimensões na Vila Olímpia, no Jabaquara ou na Vila Leopoldina terão usos completamente distintos, já que o mercado de cada localidade pode ter diferentes necessidades.

“É preciso conhecer a região em que está e tentar projetar, daqui a cinco anos, qual seria o produto ideal para aquela região. É uma analise bastante complexa, mas que tende a ser intuitiva para quem está fazendo isso a bastante tempo”, argumenta Netto.

PUBLICIDADE

Quer conquistar o sonho da casa própria? Invista. Abra sua conta na XP – é grátis