Rating

Fitch rebaixa rating da Eletrobras após renovação de concessões

Nota de crédito da estatal passou de BBB para BB; perspectiva passou de estável para negativa

SÃO PAULO – A agência de classificação de risco Fitch rebaixou nesta sexta-feira (7) a nota de crédito da Eletrobras (ELET3; ELET6) por conta da decisão do governo sobre a renovação antecipada das concessões de energia.

O rating caiu de BBB para BB em moeda estrangeira e escala nacional, dentro da faixa de grau especulativo da instituição. A perspectiva foi reduzida de estável para negativa. Ao mesmo tempo, a agência cortou a classificação nacional de longo prazo de Furnas, controlada pela Eletrobras, de AAA para AA-, e revisou a perspectiva também para negativa.

“O rebaixamento reflete o impacto altamente negativo na qualidade de crédito da Eletrobras devido a sua decisão de aceitar a renovação antecipada da totalidade das concessões de geração e de transmissão com vencimento em 2015 e 2017”, diz a Fitch, em comunicado.

O governo ofereceu indenização de cerca de R$ 14 bilhões para a estatal em função do processo de renovação antecipada. No entanto, na opinião da Fitch, “a estrutura de capital da Eletrobras é insustentável, apesar do apoio do governo, baseada na expectativa de uso dos rendimentos da renovação das concessões e da eliminação do fluxo de caixa operacional”.

No caso de outras empresas do setor, a Fitch reafirmou o rating da Cemig (CMIG4), em escala nacional, em AA, mas revisou a perspectiva para negativa. Já Copel (CPLE6) e Transmissão Paulista (TRPL4) tiveram as notas e perspectivas reafirmadas, em AA+ e estável, respectivamente.