Imprensa internacional

Escândalo de corrupção na Petrobras está atingindo outra gigante da Bolsa, diz FT

A Eletrobras disse em um comunicado na quarta-feira que nomeou o escritório de advocacia Hogan Lovells, dos EUA, para investigar possíveis violações das leis nacionais e internacionais em seus contratos

Usina Eólica Volta do Rio – Ceará *** Local Caption *** Vista dos aerogeradores durante a visita técnica à usina Eólica Volta do Rio no Ceará. Usina eólica conectada a SE SOBRAL III, Chesf. A usina pertence ao grupo Energimp S/A, controlado pela IMPSA WIND (Industrias Metalúrgicas Pescarmona S.A.).
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em reportagem de hoje, o jornal britânico Financial Times destacou que o caso de corrupção que aflige a Petrobras (PETR3;PETR4) está se espalhando por grandes empresas. Neste momento, ela chega à maior empresa de eletricidade do Brasil, a Eletrobras (ELET3;ELET6).

A Eletrobras, que atrasou a divulgação dos resultados financeiros auditados para o primeiro trimestre por causa de acusações de corrupção, disse em um comunicado na quarta-feira que nomeou o escritório de advocacia Hogan Lovells, dos EUA, para investigar possíveis violações das leis nacionais e internacionais em seus contratos.

“A Hogan Lovells, especialista em investigação corporativa, foi contratada para avaliar a possível existência de irregularidades”, disse Eletrobras.

Aprenda a investir na bolsa

Assim, afirma o FT, a gigante elétrica está sendo arrastada gradualmente para a controvérsia que cerca a Petrobras. A promotoria acusa ex-diretores da Petrobras de colaborar com políticos, empreiteiros e fornecedores e retirar bilhões de dólares da companhia.

Enquanto isso, a Eletrobras alertou no final de abril a SEC (Securities and Exchange Commission) que teria de adiar sem formulário 20-F, ou relatório anual, para 2014 depois que surgiram acusações de que o executivo-chefe da subsidiária recebeu propinas, através de alegações que foram feitas por uma testemunha ouvida pela Operação Lava Jato.

A investigação realizada pela Hogan Lovells vai se concentrar em grandes contratos e aqueles de empresas de construção envolvidas na Lava Jato, informou a Eletrobras.

 Além da corrupção…
O FT ressalta ainda que, além das suspeitas de corrupção, a Eletrobras também é alvo dos críticos da condução das políticas econômicas pelo governo Dilma Rousseff.

E lembra que os acionistas minoritários alegam que as tentativas de seu governo em 2012 e 2013 para controlar os preços da energia com o objetivo de combater a inflação levou a grandes perdas na Eletrobras, Petrobras e outras empresas estatais.

E, em meio a esse cenário, a agência de classificação de risco Fitch Rating destaca: a investigação da corrupção não levaria a um rebaixamento da classificação de crédito da Eletrobras, mas a empresa ainda enfrenta desafios devido a perdas após a mudança nas políticas de energia do governo.

PUBLICIDADE