Óleo e Gás

Entenda por que Lupatech era o “trade idiota” do dia: ação caiu 42% após grupamento

Fornecedora da Petrobras sofre como previsto depois de agrupar ações; empresa é afetada pela crise no setor de Óleo e Gás

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O mercado de capitais é marcado pela flutuação e imprevisibilidade. Pessoas que conseguem ganhar muito dinheiro com investimentos frequentemente tornam-se gurus e atraem milhões que buscam este sonho de enriquecer na Bolsa de Valores. No entanto, há algumas operações que de tão previsíveis acabam se mostrando verdadeiros “trades idiotas” para os investidores. 

Hoje tivemos um exemplo com a Lupatech (LUPA3). Empresa que fornece equipamentos, máquinas e soluções de engenharia para o setor de Óleo e Gás, já estava extremamente endividada quando estourou o escândalo da Operação Lava Jato e as suas ações afundaram de vez na Bolsa, chegando a atingir cotações tão baixas quanto 3 centavos depois de chegar a operar a R$ 22,50 em 2008.

Para sair desta situação, no dia 15 de maio a companhia aprovou em Assembleia Geral Extraordinária um grupamento na razão de 500 ações para 1. Na época, o InfoMoney soltou a notícia mostrando que em diversas ocasiões, operações de juntar papéis de empresas cujas ações valem centavos na Bolsa resultam em quedas ainda maiores.

Aprenda a investir na bolsa

Como diversos analistas e gestores já previam, a previsão se realizou e a Lupatech viu suas ações se desvalorizarem hoje, um dia depois de executado o grupamento: as LUPA3 desabaram 42%, a R$ 8,70. Na mínima do dia os papéis chegaram a cair 42,93%, a R$ 8,56. Além da queda, impressiona o volume de negociação, que ficou em R$ 913.776,00, contra uma média dos últimos 21 dias em R$ 62.130,33. 

Segundo o analista da XP Investimentos, Ricardo Kim, não é regra que uma ação vai cair depois do grupamento, mas com o aumento da liquidez decorrente das cotações terem saído dos centavos e a abertura de espaço para cair, o investidor que já estava pessimista ou o acionista que quer se livrar da ação ganham uma oportunidade de vender seus ativos. 

O problema dos grupamentos
Em uma resposta à “ameaça” da BM&FBovespa de banir ações que valem menos de R$ 1,00 na Bolsa de Valores, muitas “penny stocks” têm anunciado grupamentos de ações, com o intuito de aumentar o valor de face de cada papel através da diminuição da quantidade de ativos negociados na Bovespa. A operação, em um primeiro momento, é vista como positiva no sentido de trazer maior liquidez para ativos que eram negociados próximos de R$ 0,01. Mas o que temos visto na prática é que os grupamentos têm aberto espaço para que aquelas ações que não tinham mais como cair simplesmente… voltassem a cair.

Para explicar isso melhor é só pensar em como funciona um grupamento. O preço da ação nestas situações não foi elevado porque mais pessoas decidiram comprar e ela se valorizou; o que ocorre, na verdade, é que o número de papéis disponíveis no mercado diminuiu. No caso da Lupatech, por exemplo, para cada 500 ações que circulavam ontem, há apenas uma hoje. Então, o valor que cada acionista da companhia manteve em mãos após a operação foi igual ao que ele tinha antes, apenas o número de ações em sua carteira ficou menor. 

O trade “idiota”
Afetada por um enorme endividamento e já tendo entrado com pedido de recuperação judicial, a companhia sofre por ser fornecedora de máquinas equipamentos para o setor de Óleo e Gás, que enfrenta uma pesada crise desde que foi deflagrada a Operação Lava Jato. Para se ter uma ideia do tamanho da dependência da Lupatech em relação à Petrobras (PETR3; PETR4), por exemplo, 85% do faturamento da fornecedora vem de contratos firmados com a estatal.

O prejuízo da Lupatech em 2014 foi de R$ 631 milhões, 67% a mais do que em 2013, sendo que a receita total da companhia neste período somou R$ 384,3 milhões, uma redução de 13%. Mas o que realmente incomoda no último balançoanual divulgado, é que os custos (avaliados em R$ 347,6 milhões) e as despesas (R$ 261,4 milhões) somados já são maiores do que as receitas da empresa. 

PUBLICIDADE

Ou seja, analisando tudo, era bem previsível a qualquer investidor bem informado que a Lupatech fosse despencar hoje na Bolsa, sem precisar ser nenhum Warren Buffett ou George Soros. A grande dificuldade para quem quisesse fazer esse trade era conseguir operar vendido, já que empresas que valem centavos possuem normalmente uma liquidez muito baixa e disponibilidade de aluguel menor ainda, então alugar uma ação para vender e recomprar após o grupamento poderia se mostrar um verdadeiro desafio. Bem maior do que prever a alta ou queda dos papéis.