Teleconferência

Energia no mercado livre vai continuar competitiva, garante AES Tietê

Presidente da holding, Britaldo Soares, afirma que não deve ocorrer a volta de clientes do mercado livre para cativo após a MP 579

SÃO PAULO – O presidente da AES Tietê (GETI4), Britaldo Soares, afirmou durante teleconferência de análise de resultados do terceiro trimestre de 2012, que acontece na tarde desta quarta-feira (7), que não deve acorrer a volta de clientes livres para cativo. 

“Acreditamos que o mercado livre, a despeito dos descontos aplicados nas tarifas reguladas, deve continuar a ser competitivo. Não deve ocorrer a volta de clientes livres para cativo, com o preço da energia permanecendo entre a faixa de R$ 100 a  R$ 110 por megawatt/hora”, explica o presidente da holding.

Soares afirma ainda que a AES Tietê não é afetada legalmente pela Medida provisória 579, considerando que suas renovações foram outorgadas após 1995 e tem prazo vencimento até o ano de 2029, sendo passíveis de renovação.

Apesar disso, as ações da companhia vêm sofrendo fortes oscilações diante das incertezas dos invetidores sobre como ficaria o mercado livre depois das medidas tomadas no setor. As principais dúvida são, principalmente, sobre a maneira como seriam feitas as recontratações de sua posição de energia a partir de 2015.