Elétricas

Eletrobras pode precisar de aporte governamental após MP 579, diz Valor

Agência de classificação de risco Fitch aponta que deve rebaixar a nota da estatal caso o aporte não aconteça

Usina Hidrelétrica de Tucuruí *** Local Caption *** Comportas abertas da usina de Tucuruí

SÃO PAULO – A Eletrobras (ELET6) pode precisar de aporte governamental após a MP 579, que mudou as regras para concessões do setor elétrico. Em encontro com investidores na quarta-feira (7), o presidente da EPE (Empresa de Pesquisa Energética), Mauricio Tolmasquim, admitiu a possibilidade do Tesouro Nacional precisar socorrer a estatal, diz reportagem do Valor Econômico.

A companhia corre ainda o risco de ter sua nota rebaixada pela agência de classificação de risco Fitch. Em relatório, a agência apontou que sem a ajuda governamental as finanças da Eletrobras sofrerão forte abalo, o que pode resultar em um Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) próximo de zero ou até mesmo negativo.

“Um apoio direto significativo do governo na forma de aportes de capital e acesso a financiamentos por meio de bancos de fomento vão desempenhar um papel importante na mitigação do risco”, ressaltam os analistas da Fitch.