Corte

Eletrobras é rebaixada pela Moody’s e perde grau de investimento

Agência de rating ainda deixou a companhia em análise para possíveis novos cortes

arrow_forwardMais sobre
Usina Eólica Volta do Rio – Ceará *** Local Caption *** Vista dos aerogeradores durante a visita técnica à usina Eólica Volta do Rio no Ceará. Usina eólica conectada a SE SOBRAL III, Chesf. A usina pertence ao grupo Energimp S/A, controlado pela IMPSA WIND (Industrias Metalúrgicas Pescarmona S.A.).
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A agência de classificação de risco Moody’s cortou o rating da Eletrobras (ELET3; ELET6) nesta quinta-feira (21) de Baa3 para Ba1, retirando assim o grau de investimento da companhia. A Moody’s ainda manteve a companhia sob revisão, alertando para possíveis novos cortes de rating.

Em relatório, a agência disse que rebaixou a estatal “porque apesar de alguma melhora financeira vinda dos resultados recentemente anunciadas no primeiro trimestre de 2015, a Eletrobras continua a publicar indicadores de crédito que são muito fracos para a categoria de rating Baa3″.

“Na ausência de uma forte redução do seu programa de investimentos ou algum tipo de injeção de capital, as previsões da Moody’s continuam de fraco desempenho financeiro. Além disso, a Eletrobras recebeu uma ressalva de seu auditor KPMG sobre seus resultados do primeiro trimestre e não conseguiu apresentar seu formulário 20F, conforme exigido pela SEC”, continuou a Moody’s.

Aprenda a investir na bolsa

A denúncia da Lava-Jato foi um dos motivos pela qual a Eletrobras não arquivou seu relatório anual (20-F) na Securities and Exchange Commission dentro do prazo. Segundo a Moody’s, a Eletrobras cumpriu as regras da SEC ao informar o atraso da publicação do documento, ganhando um prazo de seis meses para isso, contados desde 30 de abril, para resolver a pendência.

Durante o período de revisão do rating, a Moody’s vai avaliar a capacidade da Eletrobras de fortalecer suas margens operacionais, assegurar financiamento de longo prazo para a maior parte de seus projetos, além de melhorar sua posição de liquidez. A Moody’s vai considerar um novo rebaixamento dos ratings da Eletrobras se as projeções indicarem que as métricas de crédito não vão melhorar substancialmente nos próximos 12 a 18 meses, ou se notar uma deterioração relevante da sua posição de liquidez