Gestão e empreendedorismo

“É importante ter ‘metas audaciosas’, mas sem descuidar da felicidade”, diz Benchimol 

Em conversa com Ricardo Amorim, Benchimol conta sobre os pontos de virada em sua vida e na companhia, em meados de 2010

Por  Equipe InfoMoney -

A definição de metas profissionais ambiciosas e a busca da felicidade é o equilíbrio que Guilherme Benchimol buscaria com mais dedicação se pudesse voltar no tempo. “Ficamos tão concentrados em cumprir nossas metas – e isso é fundamental – mas a vida passa muito rápido e estamos aqui para sermos felizes”, disse o presidente executivo do conselho de administração da XP, em entrevista ao economista Ricardo Amorim. “É importante ter metas audaciosas e planos ‘malucos’, no bom sentido, mas também é importante comemorar e aproveitar cada momento — os pequenos momentos — e fazer com que eles passem um pouquinho mais devagar.”

Na conversa, disponível no YouTube, Benchimol, conta que houve um ponto de virada em sua vida, em meados de 2010, quando comandava uma empresa de já dez anos e com cerca de 500 colaboradores — e não mais uma de cerca de uma dezena de funcionários distribuídos em uma sala de 25 metros quadrados. À época, identificou que precisava dar uma guinada na forma com que conduzia a companhia. “A empresa foi mudando e eu não fui mudando o personagem. Não dá para se envolver em tudo. Tive um baque muito grande e precisei aprender a ser um líder diferente e evoluir com a companhia.”

Um dos passos dessa jornada, segundo Benchimol, foi a decisão de abrir mão, no ano passado, do posto de CEO da empresa, que ocupou por 20 anos. “Quando comecei, era assessor de investimentos. Atendia os clientes e era um bom assessor — do contrário, não estaria aqui. Mas você tem que deixar de fazer aquilo que você faz bem e gosta.” Segundo o fundador da XP, “se você pensa grande, aprende a abdicar de coisas pequenas”. Na contramão disso, muitas empresas acabam dando errado no longo prazo, justamente por terem executivos que não estão sintonizados com os diferentes momentos de cada companhia”.

Questionado sobre como consegue estar à frente de uma empresa, de hoje mais de 6,5 mil funcionários, com família (mulher, Ana Clara Sucolotti, e três filhas) e a prática de ultramaratonas de corrida, Benchimol resumiu a receita em uma única palavra: disciplina. “O segredo é gostar daquilo que você faz, se organizar bem e entender que cada um tem seu equilíbrio. O meu é ter a cabeça e o corpo no lugar, estar com a mente sã, fazer esportes e ficar próximo da família e amigos”, diz. “Quando somos muito jovens, não entendemos muito essas coisas. Mas conforme vamos nos autoconhecendo, reconhecemos onde está esse equilíbrio”, explica. Para ele, a busca pela inteligência emocional é uma das coisas mais importantes a se aprender na vida.

Hoje aos 45 anos, Benchimol se considera uma pessoa feliz e diz que tem na família a principal de fonte de apoio e motivação, inclusive na esfera profissional. “A decisão de ser um empreendedor é um estilo de vida”, diz. A  entrevista na íntegra está disponível no link

Do Zero Ao Topo: os segredos de dez startups brasileiras bilionárias, em um ebook para te inspirar a criar seu próprio unicórnio

Compartilhe