Oferecido por

Disciplina de gerar dinheiro: Tallis Gomes e Alfredo Soares contam como administram a G4 Educação

Dupla de empreendedores em série explica o que aprendeu nas suas jornadas e o que não se deve fazer, em mais um episódio do Zero ao Topo XP Empresas

MoneyLab

Publicidade

“Cabeça de empresa pobre constrói empresa rica”. A fala de Tallis Gomes, empreendedor em série que é fundador da Easy Taxi, da Singu e do G4 Educação revela um pouco do estilo de gestão do empresário. No comando da edtech focada em educação executiva, ele conta como um menino criado pela avó no quarto de empregada de uma propriedade do interior de Minas Gerais usou o empreendedorismo como ferramenta de transformação e criou negócios milionários.

“Eu comecei a empreender aos 14 anos, pois era a única forma de sair daquele vilarejo. Fui a primeira pessoa da minha família a ter faculdade e entre a vida daquele menino e a fundação da Easy Taxi há um longo caminho que me ensinou que empreender é resolver um problema atrás do outro. Por isso, eu digo que não desperdiço um centavo e construir caixa é uma obsessão”, disse, em participação no Zero ao Topo Especial XP Empresas.

Desde 2019, Tallis trabalha ao lado dos sócios, que também já têm histórias na fundação de outras empresas, para criar o que chama de evolução da escola de negócios. No time estão Alfredo Soares (XTech Commerce), Bruno Nardon (Rappi) e Tony Celestino (Techstars), que dirigem o G4 Educação, companhia com 350 colaboradores, que deve faturar R$ 220 milhões em 2023.

O executivo conta que a empresa nasceu por acaso. “Eu sou aficionado por esportes radicais, sofri um acidente de paraquedas muito grave e precisei ficar na cama por muito tempo. Aquilo foi terrível e usei o tempo para estudar e escrever um livro. Passava cerca de seis horas por dia pesquisando porque alguns empreendedores conseguem criar negócios de sucesso em série e tentando achar o conjunto que levava essas empresas ao topo”, lembrou.

Nessa época, Alfredo, que já era seu amigo, viu o conteúdo e sugeriu que Tallis fizesse uma imersão com pessoas interessadas em saber os resultados do estudo. “Em um primeiro momento eu recusei. Confesso que tinha preconceito de pessoas vendendo cursos na internet, achava que não eram pessoas sérias. Foi aí que me disseram que eu seria justamente o contraponto disso e resolvi arriscar”, disse.

Alfredo lembra os primeiros passos. “Foi um nascimento raiz, de algo que nem sabíamos que seria uma empresa. Sentamos na varanda do Tallis e ele começou a falar, gravamos o conteúdo com uma câmera improvisada, fizemos postagens nas redes sociais para ver se havia interesse em ouvir a mensagem. Foi um sucesso inesperado, em 30 minutos vendemos R$ 500 mil. Havia muita demanda por experiências reais de empreendedorismo”.

Até que a empresa ganhasse a forma atual, os sócios lembram que enfrentaram muitas dificuldades, mas o objetivo de levar conhecimento prático aos empreendedores foi mais forte. “O sucesso vem depois de batalha, é sobre aguentar porrada. Empreender sempre vai ser sobre renúncia e fazer o que precisa ser feito”, afirmou Tallis. Para Alfredo, “todo mundo que construiu algo grande foi porque teve disciplina de tomar as decisões certas nos dias ruins”.

Os aprendizados dos negócios anteriores

O encontro dos quatro sócios trouxe na bagagem as experiências dos negócios desenvolvidos anteriormente. Erros e acertos serviram para estruturar o G4 Educação. Para Tallis, o negócio atual o ajudou a mudar sua maneira de pensar.

“A forma que fui habituado a construir negócios é de top line, mas todos esses negócios dependem de rodadas de financiamento para que você consiga sustentar e chegar ao próximo passo. Empresas de tecnologia tradicionalmente não são geradoras de caixa, mas eu aprendi a duras penas que ou a gente constrói caixa ou vira refém do mercado”, explicou.

Por isso, na G4 Educação, o caixa é prioridade e cada centavo é contabilizado. “Nos meus outros negócios, minha preocupação número um não era melhorar meu produto, era buscar aportes e isso me incomodava. Por isso, agora eu não vou jogar esse jogo”, disse.

Segundo ele, a empresa colocou como meta o desafio de distribuir dividendos desde o ano primeiro ano de vida. “E estamos conseguindo, com cifras altas. Criamos disciplina de monetizar tudo que a gente puder e isso inclui até mesmo desfazer de frentes lucrativas para seguir a estratégia e ser diligente”, afirmou.

O G4 Educação abriu mão de uma unidade que atendia empresas com faturamento acima de R$ 1 bilhão e trazia boas cifras para a empresa. “Entendemos que não estava alinhado com a escolha da companhia, pois era um ciclo de venda longo e um mercado pequeno, de cerca de 1 mil empresas. Decidimos focar nossa energia nos demais públicos. Não entro mais em briga de faca”, disse.

Alfredo conta que essa cultura de monetizar cada oportunidade é levada a sério na empresa. “Mas não é fácil fazer isso, já vimos várias vezes nosso time tomando decisão errada porque tem dinheiro em caixa, como por exemplo fazer um evento e não buscar patrocínio, não vender ingresso”, afirmou.

Por isso, Tallis reforça a importância da cultura dentro da companhia. “Nós somos o exemplo. Eu economizo cada centavo que eu posso. Mas há um lado bom nisso, em um momento de incertezas econômicas, a gente está discutindo aquisições e consegue atacar quando todos estão se controlando. A empresa cresce com responsabilidade, quase três vezes por ano, e consegue gerar caixa”, disse.

Conselhos para quem deseja empreender

Para Tallis, a teoria sobre empreender é muito mais fácil do que a prática. “A pergunta que eu faço pra todo mundo que quer empreender é: qual problema você quer resolver que já não exista uma solução e que as pessoas estão dispostas a pagar por ele? É tão simples como isso. Mas eu não disse que é fácil, afinal, tente achar algo tão diferente que ninguém tenha feito e que tenha uma precificação que ninguém tenha dado. Aí é que está o problema”.

Por isso, os empresários aconselham que os empreendedores não deixem de aprimorar as habilidades. “No G4 Educação nós temos conteúdo feito por empresários e C-levels, por pessoas que de fato estão no mercado. Nada contra os acadêmicos, mas nosso diferencial é ajudar o empresário na prática, com compartilhamento de experiências reais”, disse Tallis.

Para Alfredo, o segredo é que o empreendedor renove diariamente sua ambição. “É sobre ser mais apaixonado pelo futuro do que ter orgulho do que fez até aqui. Meu conselho é: esteja pronto para se adaptar, esse é o skill que nos faz passar por momentos difíceis e celebrar as vitórias”, afirmou.

O G4 Educação foi a empresa convidada para a edição do Zero ao Topo, podcast da InfoMoney. A íntegra do bate papo pode ser conferida pelo link.

O programa também está disponível em vídeo no YouTube ou nas plataformas de áudio ApplePodcastsSpotifyDeezerSpreakerGoogle PodcastCastbox e Amazon Music.

MoneyLab

MoneyLab é o laboratório de conteúdo de marcas do InfoMoney. Publicidade com criatividade e performance a favor de grandes ideias. Publicamos conteúdos patrocinados para clientes e parceiros.