Bolsa

Crescendo? Receitas da BM&FBovespa devem subir, mas lucro deve encolher

Números não deverão fazer impacto significativo na ação, acredita Aloisio Lemos, analista da Ágora

SÃO PAULO – O mercado acionário geralmente cresce em momentos de grande euforia com o momento vivido pelas principais ações nas bolsas de valores. Nesse cenário, a expectativa dos analistas de Itaú BBA, Ágora e Safra é que os resultados da BM&FBovespa (BVMF3) voltem a apresentar melhora nas receitas mas lucro menor.

De acordo com os analistas ouvidos pelo InfoMoney, as receitas devem crescer de R$ 493,7 milhões para R$ 514,4 milhões no trimeste – uma alta de 4,19%. Já o lucro líquido atribuível aos acionistas deve recuar de R$ 292 milhões para R$ 280 milhões, uma redução praticamente na mesma proporção – 4,11%. 

Mas um alerta de Aloisio Villeth Lemos, analista da Ágora: a companhia costuma divulgar todos os seus dados operacionais mais importantes – fazendo com que o resultado não interfira de modo relevante no desempenho das ações da companhia, na próxima sessão. Mesmo assim, números como despesas e endividamento costumam chamar a atenção do mercado.

“Os resultados deverão mostrar uma perda de momentum frente os números fortes do 2º trimestre”, avaliam Alexandre Spada, Regina Sanchez e Thiago Batista, do Itaú BBA. Na avaliação deles, os custos da companhia continuarão sob controle – um dos principais drivers em relação à operadora da bolsa brasileira.

Francisco Kops, do Safra, avalia que haverá um aumento nesta linha, por conta do aumento de despesas com marketing, processamento de dados e o impacto do acordo de dissídio coletivo. “Mas em relação aos resultados financeiros, acreditamos que o maior valor de caixa da empresa possa compensar a taxa Selic menor para o trimestre”, avalia o analista. 

3T12E*3T113T12E/3T11
Receita líquida**514,4493,7 +4,19%
Ebitda**361,5347,5 +4,03%
Margem Ebitda70,5%70,4% -0,1 p.p.
Lucro líquido280292 -4,11%
*Projeções de Itaú BBA, Ágora e Safra
**Projeções de Itaú BBA e Ágora