Teleconferência

Cosan descarta possibilidade de IPO da Radar

Presidente da Cosan, Marcos Lutz, afirma que não há possibilidades de oferta de ações da unidade na qual a companhia aumentou a partipação

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O presidente da Cosan (CSAN3), Marcos Lutz, descarou em teleconferência com jornalistas que aconteceu nesta quinta-feira (8) a intenção de fazer oferta de ações da empresa Radar – na qual a companhia aumentou recentemente a participação para 37,7%.

“Não temos planos de IPO (Oferta Pública de Ações, na sigla inglesa) para os ativos da Radar”, esclareu o presidente da companhia. 

A Radar Propriedades Agrícolas atua no mapeamento de áreas de utilização de maior valor agregado. O objetivo da empresa é investir em imóveis agrícolas no Brasil, identificando propriedades com alto potencial de valorização.

De acordo com a companhia, a partir deste trimestre ela já foi consolidada nos resultados da Cosan.

Balanço trimestral
A Cosan registrou lucro líquido de R$ 283,2 milhões no segundo trimestre fiscal de 2013, encerrado em 30 de setembro. O valor é 348% maior do que os R$ 63,2 milhões apurados no mesmo período do ano fiscal anterior.

O desempenho da companhia no trimestre traz os reflexos da melhoria de suas operações e da melhora nas margens das unidades de negócios.

“O aumento expressivo do lucro líquido reflete a melhoria das eficiências operacionais, o que inclui a própria Raizen energia, que apesar de ter sido o único seguimento com recuo, contribuiu para a melhoria do lucro líquido”, destaca.