Análise

Contrato da Direcional com Caixa é um bom catalisador para ações, diz BTG

Analistas se mostram confiantes com projetos da companhia e reforçam preferência por suas ações no setor imobiliário brasileiro; preço-alvo foi elevado para R$ 15,50

SÃO PAULO – O contrato fechado da Direcional (DIRR3) com a Caixa Econômica Federal e o governo do Distrito Federal para erguer residências em Paranoá, e que farão parte do programa “Minha Casa, Minha Vida”, é um bom catalisador para as ações da companhia, aponta o BTG Pactual.

Os papéis da Direcional permanecem como os favoritos do banco entre as companhias do setor imobiliário no Brasil, devido a sua sólida exposição ao segmento de baixa renda, que possui alto retorno e baixo risco comercial.

Os analistas Marcello Milman e Gustavo Cambauva acreditam que o contrato com o Caixa para constução de casas em Brasília deve estimular o setor, principalmente em função de uma operação vertical mais integrada e reforçada mão de obra própria, beneficiando-se da desoneração da folha de pagamentos, com 100% dos projetos elegíveis ao regime especial de tributação. 

Nesse sentido, os analistas Milman e Cambauva apontam em relatório que as ações se encotram num patamar atrativo, levando-os a reiterar recomendação de compra para os papéis. Já o preço-alvo para os próximos 12 meses foi elevado, de R$ 14,50 para R$ 15,50 – o que representa um novo potencial de valorização de 14,14% em relação ao fechamento da última quarta-feira (5).