Do Zero ao Topo especial

“Se fecharmos tudo por mais de 15 dias, pequenas empresas vão quebrar”, diz fundador da Easy Taxi

Em entrevista ao Do Zero ao Topo, empreendedor defende que após restrição de 15 dias, governos limitem regras apenas a grupos de risco

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O empreendedor Tallis Gomes, fundador dos aplicativos Easy Taxi e Singu, engrossou o crescente coro de empresários que pedem para as medidas restritivas de circulação de pessoas e operação de negócios devido à escalada do coronavírus sejam revistas.

Em sua opinião, o período de restrição de 15 dias que foi imposto por governos estaduais e municipais no momento parece o mais adequado. Após esse período inicial, no entanto, as restrições deveriam ser aplicadas, apenas, a grupos de risco.

Aprenda a investir na bolsa

“Se continuarmos com o lockdown total por mais de 15 dias, pequenas empresas vão quebrar no mês que vem. A gente precisa trabalhar para isolar grupos de riscos, mas permitir que pessoas não infectadas trabalhem normalmente após esses 15 dias iniciais. Não dá para fechar tudo por dois meses”, disse Tallis durante uma live no programa Do Zero ao Topo especial.

A proposta é embasada em uma coluna que foi publicada por Thomas Friedman, influente colunista do jornal The New York Times, no último domingo (22) e que defendeu uma abordagem mais cirúrgica no combate à pandemia nos Estados Unidos.

“O que economistas e empresários estão percebendo é que se a gente continuar com essas restrições, podemos viver uma crise pior que a grande depressão de 1929”, afirmou Tallis. Para assistir a entrevista completa, clique no player acima.

Do Zero ao Topo e o InfoMoney Orienta

O podcast Do Zero ao Topo traz, a cada semana, um empresário de destaque no mercado brasileiro para contar a sua história. Devido à crise atual, o programa está fazendo uma cobertura especial juntamente com o quadro InfoMoney Orienta para discutir como empresas estão passando pela crise por meio de lives, artigos, podcasts.

Você pode enviar suas perguntas e comentários utilizando a hashtag #InfoMoneyOrienta no Twitter e no Instagram. As dúvidas serão analisadas por especialistas financeiros e as respostas serão publicadas nos próximos dias no site, no Instagram e no Twitter do InfoMoney.

 

PUBLICIDADE