Veja o gráfico

Com minério abaixo de US$ 50, Vale bate mínima de 2008 e já desaba 40% desde maio

Minério de ferro entrou em "bear market" na segunda-feira, com o preço da commodity caindo mais de 20% desde o último topo formado

Mineração da Vale
Mineração da Vale
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O minério de ferro confirmou a previsão de muitos analistas e foi para baixo de US$ 50 a tonelada nesta terça-feira (7), puxando as ações da Vale (VALE3; VALE5) nesta sessão, cujas ordinárias chegaram a bater hoje o menor patamar em sete anos, como pode-se observar no gráfico abaixo. 

Com o mau humor do mercado, as ações ordinárias da mineradora chegaram a cair 5,72%, atingindo cotação de R$ 16,64 – mínima desde o fechamento de 27 de outubro de 2008, quando atingiu também o menor patamar que registrado durante a crise de 2008. Da máxima registrada esse ano (em 6 de maio) até hoje, as ações chegaram a cair 40%. No mesmo sentido, as ações preferenciais chegaram a cair 4,6% nesta sessão, atingindo R$ 14,28 – o patamar está nivelado ao menor fechamento de novembro de 2008, mas não dá para considerar que renovou mínima já que no início de abril havia encostado no mesmo nível registrado hoje. 

Às 15h28 (horário de Brasília), as ações ordinárias da mineradora recuavam 0,96%, a R$ 17,48, enquanto as preferenciais caíam 1,8%, a R$ 14,70, em um movimento generalizado de recuperação do mercado. Os papéis da Bradespar (BRAP4, R$ 9,75, -1,91%), holding que detém participação na Vale, também caíam.

Aprenda a investir na bolsa

Nesta sessão, o minério de ferro com entrega imediata no porto de Tianjin despencou 4,4%, para US$ 49,70 a tonelada, no nono dia consecutivo de perdas, atingindo o menor patamar desde meados de abril, segundo dados do The Steel Index. “A oferta de minério de ferro está crescendo, enquanto as siderúrgicas reduzem produção, por isso os preços estão pressionados”, disse Xu Huimin, analista da Huatai Futures, em Xangai à Reuters.

Na segunda-feira, o minério de ferro entrou em “bear market”, que configura uma queda de mais de 20% desde o último topo formado. Analistas acreditam que a tendência de queda da commodity vai perdurar ainda com as ofertas de baixo custo da Austrália e Brasil devendo se expandir mais neste semestre e a demanda na China caindo.

O minério com 62% de conteúdo enviado para Qingdao afundou 5,4%, para US$ 52,28 por tonelada seca na segunda-feira, segundo a Metal Bulletin Ltd. Hoje, caíram novamente 5,1%, a US$ 49,60. Os preços declinaram mais de 20% desde que bateram um recorde no dia 11 de junho, e passaram a entrar na definição comum de mercado baixista. Eles tinham se recuperado do menor valor em uma década, US$ 47,08, registrado em 2 de abril, depois que os carregamentos ficaram abaixo das expectativas e os estoques nos portos caíram.

Confira abaixo os gráficos da Vale e minério de ferro:

– Vale ON

– Cotação do minério de ferro do porto de Qingdao

PUBLICIDADE