Com forte queda nesta sexta, Lojas Renner lidera perdas do Ibovespa na semana

Ações da varejista caem de 4,5% na semana, após recuo de 7,5% nesta sessão; vendas de mesmas lojas decepcionam

Por  Maria Cecília Ferraz Fontes

SÃO PAULO – Após apresentar ao mercado um resultado trimestral abaixo do esperado, as ações da Lojas Renner (LREN3) desabaram 7,53% nesta sexta-feira (28), liderando com folga as perdas do Ibovespa na sessão, fechando o dia a R$ 52,80. No intraday, os papéis da varejista chegaram a recuar 9,61%, quando bateram a mínima do dia de R$ 51,61. O benchmark, por sua vez, terminou o último pregão da semana com alta de 0,41%.

Vale destacar o forte volume financeiro dos ativos LREN3 nesta sessão, tendo movimentado R$ 235,40 milhões, quase quatro vezes mais do que a média diária dos últimos 21 pregões – cerca de R$ 60 milhões.

Com essa forte desvalorização, as ações da Lojas Renner encerraram a semana com a maior queda dentre os ativos que compõem o Ibovespa, acumulando perdas de 4,50%, entre os dias 24 e 28 de outubro – no mesmo período, o índice de ações teve forte avanço de 7,71%.

Vendas mesmas lojas decepcionam
O analista Gustavo Pires, da XP Investimentos, credita a forte queda desta sessão, que foi preponderante para o recuo na semana, à decepção do mercado com os dados de crescimento de vendas em mesmas lojas no terceiro trimestre deste ano da rede varejista. “O desempenho nesse quesito, com expansão de 3,8%, ficou bem abaixo da expectativa de alta de 5,0% e da inflação no período, em torno de 7,0%”, afirma.

Vale mencionar ainda que outra varejista do setor de vestuário apresentou seus resultados trimestrais na noite anterior: a Hering (HGTX3). Esta, contudo, trouxe números melhores que o esperado, com forte crescimento nas vendas, no lucro e nas margens. Além disso, ela também aumentou de 418 para 433 a sua meta de lojas Hering Store para 2011. Em resposta a isso, os papéis HGTX3 fecharam este pregão com alta de 3,55%.

Aumento nos gastos
Entre julho e setembro, a varejista teve uma retração em seu lucro líquido de 0,5%. O montante alcançado durante o período foi de R$ 56,7 milhões. O começo da desaceleração da atividade econômica no Brasil, a apreciação do dólar frente ao real e uma piora na situação global foram fatores que influenciaram negativamente o balanço.

Erick Rodrigues, analista da BB Investimentos, faz uma ressalva. Os números também decepcionaram por conta de um aumento nos gastos da Camicado, incorporada à rede, além de custos do plano de abertura de novas lojas.

Mesmo com o resultado inferior, as perspectivas para o setor de vestuário continuam boas. Sandra Peres, da Coinvalores, acredita que a Lojas Renner continuará a se destacando nesse mercado, sendo a preferida dentre suas concorrentes.

Rodrigues, do BB, vê melhoras com o fim da consolidação da Camicado, por exemplo, e com a possibilidade de a loja virtual começar a se tornar rentável, “no embalo do robusto crescimento do comércio eletrônico no Brasil”. Quanto aos gastos com novas lojas, o analista vê preferência nas compactas, que trazem menores custos.

Recomendações
A Coin manteve a recomendação de compra para as ações da Lojas Renner, apesar do balanço levemente em queda. O preço-alvo fixado pela corretora é de R$ 78,00, o que traz um potencial teórico de valorização de 47,73%, frente ao fechamento desta sexta.

Já a BB Investimentos informou que mantém o preço potencial em revisão, mas frisa que a perspectiva para os negócios da empresa continua positiva.

Compartilhe