Hisao Tanaka

CEO da Toshiba pede demissão por causa de escândalo de fraude contábil

Presidente da companhia e outros funcionários são acusados de ampliar artificialmente os lucros da empresa

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O CEO da Toshiba, Hisao Tanaka, e outros oito executivos da empresa – entre eles o vice-presidente, Norio Sasaki, e o conselheiro Atsutoshi Nishida – pediram demissão após uma investigação indicar que eles foram responsáveis por uma fraude contábil, na qual a companhia ampliou artificialmente os seus lucros.

Ao longo de sete anos, os funcionários da empresa japonesa ampliaram artificialmente os lucros em US$ 1,2 bilhão, segundo informações publicadas no site da CBC News. Durante o anuncio de sua saída da Toshiba, Tanaka curvou-se e manteve sua cabeça abaixada por quase meio minuto, em um gesto que transmite vergonha e arrependimento.

“Vejo isso como o evento mais danoso para nossa marca nos 140 anos de história da companhia”, afirmou em entrevista coletiva nesta terça-feira (21).

Aprenda a investir na bolsa

A Toshiba anunciou que está reorganizando a sua diretoria e que 16 membros do conselho já foram afastados de suas funções. Até o final do mês novas mudanças serão feitas e, enquanto isso, o executivo Masashi Muromachi irá atuar como executivo-chefe interinamente.

Entenda o caso
O relatório de uma investigação externa contratada pela Toshiba, divulgado nesta terça-feira, revela que os três últimos executivos-chefes da empresa tiveram papel ativo na elevação artificial do lucro operacional da companhia desde 2008 até o último ano fiscal, terminado em março.

A revisão das contas para mostrar a imagem financeira completa e verdadeira da empresa ainda não está pronta e a companhia promete uma reunião de emergência com acionista em setembro, onde planeja entregar um relatório financeiro genuíno.

O caso preocupa o governo japonês, que tem se esforçado para mostrar maior transparência entre as companhias locais e atrair mais investidores estrangeiros ao país. O vice-primeiro-ministro do Japão, Taro Aso, expressou decepção com o episódio. “Estou totalmente desapontado porque isso pode afetar a confiança do investidor no mercado japonês”, afirmou.