Aquisição

BTG Pactual compra a “parte podre” do Bamerindus por R$ 418 milhões

Ativos comprados contam com R$ 1 bilhão em créditos fiscais, e é nesse crédito que o BTG está de olho, destacando que eles serão utilizados futuramente no contexto das atividades de crédito do banco

SÃO PAULO – O BTG Pactual (BBTG11) comunicou a aquisição da “parte podre” do Banco Bamerindus nesta quarta-feira (30), por R$ 418 milhões. O banco de André Esteves vai pagar essa quantia em cinco parcelas, sendo uma parcela na conclusão e as restantes anualmente, com correção. O mercado já especulava essa operação desde o ano passado, mas a aquisição só foi concluída nessa quarta. 

Com isso, o BTG completa a aquisição de 98% do controle acionário da instituição e das subsidiárias. Previamente à conclusão e fechamento da operação será cessada a liquidação extrajudicial da empresa, sendo que os passivos financeiros serão liquidados ou saneados – o que resultará em um patrimônio líquido positivo, sendo que dentro os ativos não consta a marca Bamerindus. 

Vale destacar que o Bamerindus foi “quebrado em dois”, sendo que os ativos saudáveis foram vendidos para o HSBC em 1997 por R$ 1, enquanto a parte podre está em recuperação judicial desde então, mas conta com R$ 1 bilhão em créditos fiscais. É nesse crédito que o BTG está de olho, destacando que eles serão utilizados futuramente no contexto das atividades de crédito do banco.