Corte de estimativas

BTG corta estimativas para petróleo e reduz preço-alvo de ADR da Petrobras para US$ 9

"Estamos mantendo a nossa perspectiva de 50% de chances para um cenário de aumento de capital da Petrobras, mas estamos ajustando o seu preço-alvo para baixo", afirma o banco

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O BTG Pactual reduziu as perspectivas para o preço do petróleo e, com isso, diminuiu o preço-alvo do ADR (American Depositary Receipts) da Petrobras (PETR3;PETR4) de US$ 10 para US$ 9. O corte da perspectiva do preço do petróleo passou de US$ 90 para US$ 75 o barril em 2015 enquanto que, para o ano de 2016, a perspectiva foi cortada de US$ 85 para US$ 80 o barril. A perspectiva de longo prazo está mantida em US$ 80 o barril.

 

“Estamos mantendo a nossa perspectiva de 50% de chances para um cenário de aumento de capital da Petrobras, mas estamos ajustando o seu preço-alvo para baixo, considerando os preços do petróleo mais baixos e outros ajustes menores depois que a empresa divulgou seus números trimestrais”, afirmam os analistas.

Aprenda a investir na bolsa

A mudança do preço do petróleo impactou o valor patrimonial líquido, que caiu de US$ 21,60 o barril para US$ 18,4 o barril. Alguma das reduções de valor também vêm da expectativas de gastos corporativos mais altos.

Por outro lado, o preço-alvo para as ações da Queiroz Galvão (QGEP3) foi elevado de R$ 13,50 para R$ 14,50. “A companhia possui um um dos modelos menos sensíveis em relação à mudança de preços do petróleo. Desde seu valor fundamental vem do campo de gás de Manati, os desvios não são geralmente tão agressivos como para outras empresas”.