Destaques de ações

Após precificação abaixo do valor de mercado, ações do Marfrig despencam

Papéis do frigorífico vêm sofrendo quedas nos últimos dias em meio à precificação de ações, nova composição no Ibovespa e impasse com o governo

SÃO PAULO – Após o anúncio da precificação das ações a um montante cerca de 13% menor que o valor de mercado do último fechamento, as ações do Marfrig (MRFG3) estendendem a queda de 15,50% do pregão anterior e iniciam a sessão desta quarta-feira (5) com forte desvalorização.

Com o primeiro negócio sendo realizado às 10h57 (horário de Brasília), após terem ficado em leilão até este horário, os papéis do frigorífico abriram com recuo de 9,83%, sendo negociados a R$ 8,16, enquanto o Ibovespa opera com alta de 0,24%.

Os papéis saíram ao preço de R$ 8,00 cada, bem abaixo dos R$ 9,05 registrados no último fechamento. Foram negociadas 131,25 milhões de ações ordinárias, em uma oferta que movimentou R$ 1,05 bilhão, levemente abaixo das pretensões da companhia, que pretendia levantar R$ 1,1 bilhão.

Ações acumulam perdas
Os papéis da companhia vêm acumulando forte baixa nas últimas sessões. Geralmente, os investidores tentam derrubar as ações na Bovespa com o intuito de deixar o preço da oferta mais baixo – tendo em vista que a precificação é feita em cima da média das cotações do ativo na bolsa.

Além disso, a nova composição do Ibovespa também colocou a empresa em evidência; a primeira prévia da carteira teórica do índice mostrou que o Marfrig foi a companhia que teve maior perda percentual de participação (12,4%), passando de 0,791% para 0,693%.

Por fim, o impasse envolvendo o frigorífico e o governo também apareceram no radar dos investidores. Recentemente, a Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados pediu ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para que explicasse sua relação com o Marfrig.