Setor elétrico

Após não renovar concessões, ressurgem especulações sobre venda da Cesp

Segundo publicação da Bloomberg, o Governo de São Paulo, que controla a Cesp com 94% de suas ações ordinárias, pode vender a companhia agora que os ativos ficaram definidos

SÃO PAULO – Após se negar a renovar as concessões de energia nos termos estabelecidos pelo Governo por meio da Medida Provisória 579,  a Cesp (CESP6) reacende as especulações sobre a possível venda da companhia, após três tentativas fracassadas. 

De acordo com matéria publicada pela agência de notícias Bloomberg, o governo do Estado de São Paulo, que controla a Cesp com 94% de suas ações ordinárias, pode vender a companhia agora que os ativos envolvidos no negócio ficaram definidos, afirmou em entrevista o presidente da companhia Mauro Arce. 

Em uma entrevista realizada em São Paulo no dia 7 de dezembro, Mauro Arce afirmou que a prioridade da companhia deve ser a de “pagar a dívida, não investir”. Na ocasião, ele disse também que e empresa pode ser vendida, mas não forneceu mais detalhes sobre uma possível compra.

Atualmente, a dívida da Cesp equivale a 1,15 vezes o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), o que a torna a terceira companhia do setor de energia elétrica menos endividade no Brasil, com um valor de mercado de mais de US$ 1 bilhão.

Vale mencionar que a ação da Cesp teve ganho de 11% neste mês, maior alta entre as empresas brasileiras de energia, depois de informar que não vai renovar as concessões das usinas que juntas respondem por 70% de seu faturamento.