Caiu no boato...

Após 30 minutos de leilão, ação da Qualicorp abre em alta de 13%

Papéis da companhia corrigem perdas da última sexta-feira, quando caíram 19,66% em meio a rumores de envolvimento na Operação Acrônimo, da Polícia Federal

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Depois de despencar 20% no pregão de sexta-feira (29) com o boato de que seu dono, José Seripieri Filho, seria um dos envolvidos nas investigações da Operação Acrônimo, da Polícia Federal, as ações da Qualicorp (QUAL3) ensaiam movimento de recuperação nesta segunda-feira (1). Em teleconferência com acionistas e comunicado divulgado ao mercado, a companhia desmentiu todas as informações, que haviam sido publicadas e corrigidas pela própria imprensa no último pregão. Além disso, o anúncio de um programa de recompra também anima os investidores.

Após cerca de 30 minutos de leilão na abertura da Bovespa, os papéis da companhia abriram com ganhos superiores a 10%. Às 10h45 (horário de Brasília), as ações QUAL3 acumulavam alta de 13,37%, cotadas a R$ 21,54, o que indica uma recuperação em relação ao fechamento da última sexta-feira, de R$ 19,00. Naquele pregão, os ativos da empresa caíram 19,66%.

A Qualicorp esclareceu que está tomando as medidas cabíveis para preservar seus interesses. Na teleconferência também foram reiterados pontos apresentados em comunicado divulgado previamente, data da notícia desmentida. Na visão da equipe da empresa, os papéis da empres têm tudo para voltar ao antigo patamar nos próximos dias.

Aprenda a investir na bolsa

No comunicado de hoje, a companhia anunciou ainda a aprovação de programa de recompra de ações. O prazo máximo para a aquisição de ações da Companhia no âmbito do Programa será de 365 dias, contados a partir do dia 01.06.2015 e tendo como termo final o dia 31.05.2016, cabendo à Diretoria definir as datas em que a recompra será efetivamente executada. O limite de ações a ser adquirido pela Companhia nos termos do Programa é de até 2.105.263 do total de ações em circulação da Companhia, de um total de 218.195.895 em circulação no mercado.