"Vazamento de informações"

Americanas comprando Marisa? Empresas confirmam contatos iniciais, mas negam acordo concreto por operação

Em fato relevante, companhias confirmam contatos, mas negam negociações de operação

Fachada de uma loja das Lojas Marisa
(Shutterstock)

SÃO PAULO – A Americanas (AMER3) e as Lojas Americanas (LAME4) divulgaram fato relevante na noite de quinta-feira (5) informando que foi identificado um “vazamento de informação” sobre uma possível operação com a Marisa (AMAR3).

No documento, a Americanas afirma que manteve contato preliminar com a Marisa, mas que não há “qualquer tipo de formalização de interesse por parte da Americanas”.

“A Americanas sempre monitora, no curso normal de seus negócios, inclusive por meio de seus assessores financeiros, potenciais oportunidades no mercado”, escreve a companhia.

Também houve posicionamento por parte da Marisa, que informou, em fato relevante, que contratou a assessoria da Lazard para avaliar alternativas de otimização de sua estrutura de capital (incluindo sua unidade de negócios Mbank).

“A companhia informa que, não obstante rumores de mercado que chegaram a seu conhecimento, não possui neste momento qualquer acordo concreto para a realização de uma operação, seja com as Americanas S.A., seja com outro participante de mercado”.

Segundo matéria publicada nesta manhã pelo Valor, que citou duas fontes, a Americanas e a Lojas Marisa abriram conversas sobre uma potencial fusão de aquisição, em que a Americanas compraria a rede de vestuário da família Goldfarb por troca de ações e uma parte relevante em caixa, no esboço inicial.

Mesmo sem um acordo concreto, as ações da Marisa dispararam nesta sessão, até 14,67%, mas fecharam com ganhos mais modestos, de 6,79%, a R$ 7,86. Já os ativos AMER3 chegaram a subir, mas fecharam em baixa de 2,41%, a R$ 46,50.

Na última sessão, as ações das Lojas Americanas encerraram o pregão em queda de 1,75%, a R$ 6,72. Os papéis AMER3 tiveram leve queda de 0,3%, a R$ 47,65, enquanto as ações AMAR3 fecharam com baixa da ordem de 2%, a R$ 7,36.

Na avaliação da XP, caso a operação ocorra, há alguns aspectos positivos com uma possível combinação de negócios.

PUBLICIDADE

Seriam quatro os benefícios principais: (i) adição da categoria de moda ao ecossistema da Americanas através de uma marca reconhecida; (ii) ampla capilaridade nacional, com 355 lojas em todos estados brasileiros (53% no Sudeste); (iii) potencial de sinergias entre Ame (braço financeiro da Americanas) e o MBank (banco digital da Marisa) ao reforçar a atração da classe C para o segmento financeiro da AMER; e (iv) sinergia entre base de clientes das duas companhias, dado que a Marisa atende principalmente as classes B e C.

“No entanto, teríamos que entender qual o valor da transação para estimar se há uma potencial criação de valor, dado que a Marisa tem passado por uma forte reestruturação recentemente e tem enfrentado desafios para melhorar seus resultados”, avaliam os analistas.

A XP mantém recomendação de compra para AMER3 e LAME4, com preço alvo de R$ 82 e R$ 12, respectivamente.

Em curso gratuito de Opções, professor Su Chong Wei ensina método para ter ganhos recorrentes na bolsa. Inscreva-se grátis e participe.