Aliansce Sonae: a administradora de shoppings que quer consolidar o mercado

Rafael Sales, CEO da maior companhia de shoppings do Brasil, falou sobre como chegou lá e o que deve vir pela frente

Mariana Amaro

Publicidade

Uma parte da história já é conhecida. Em 2019, a Aliansce Sonae Shopping Centers (ALSO3), a maior administradora de shoppings do Brasil tinha acabado de “nascer”, a partir da fusão entre a Aliansce e a Sonae Sierra do Brasil.

A companhia vivia um momento excelente: com um portfólio de 39 shoppings espalhados pelas cinco regiões do Brasil, a empresa levantou R$ 1,19 bilhão com oferta de 27,7 milhões de ações. Tudo indicava que o ano seguinte seria pujante.

Mas, a partir do dia 17 de março, por recomendação da Associação Brasileira de Shoppings Centers, a Aliansce Sonae e outras grandes redes do setor, anunciaram uma redução de horário de funcionamento. A medida era a primeira de muitas que viriam a seguir – incluindo o fechamento total dos shoppings – para tentar frear o avanço do coronavírus. “Os shoppings foram projetados para não fechar nunca. Abrimos todos os dias, inclusive em feriados internacionais. E temos um orgulho enorme de prover esse serviço para a sociedade. Então, além do fator econômico, esse fator de fechar o shopping teve um peso emocional no nosso time”, conta Rafael Sales, CEO da Aliansce Sonae, em entrevista ao podcast Do Zero ao Topo.

Continua depois da publicidade

Enfrentar a pandemia, afirma, foi o maior desafio da sua carreira. A sorte (ou estratégia?) foi que a companhia estava preparada: com o caixa cheio e uma redução na alavancagem. “Compramos uma participação adicional no Shopping Leblon, no Rio, um dos melhores do Brasil, e conforme a pandemia foi evoluindo, passamos a analisar movimentos maiores”, diz.

Um desses movimentos foi a negociação com a BRMalls. “Havia um fit geográfico e mais: quando eu entrei na Aliansce, em 2017, a BRMalls nos procurou para comprar a Aliansce”, relembra. Naquela época, o negócio acabou não evoluindo. “Foi um processo muito público, mas ninguém tinha dúvida que fazia sentido do ponto de vista estratégico”, afirma.

Antes de enfrentar negociações de fusão e a maior crise de saúde pública no comando de um dos setores mais abalados pelas medidas de restrição, Sales construiu uma longa carreira. Curiosamente, seu primeiro trabalho, aos 15 anos, foi muito parecido com a função de administrador de shopping que desempenha hoje: cobrar aluguel de lojas.

De Belém, no Pará, onde nasceu e cresceu, até a posição que ocupa hoje, à frente de um movimento de consolidação do setor, a história de Rafael Sales é o tema do episódio 139 do podcast Do Zero ao Topo. O programa está disponível em vídeo no YouTube ou em áudio em ApplePodcastsSpotifyDeezerSpreakerGoogle PodcastCastbox e Amazon Music.

Sobre o Do Zero ao Topo

O podcast Do Zero ao Topo traz, a cada episódio, um empreendedor(a) ou empresário(a) de destaque no mercado brasileiro para contar a sua história, compartilhando os maiores desafios enfrentados ao longo do caminho e as principais estratégias usadas na construção do negócio.

O programa já recebeu nomes como André Penha, cofundador do QuintoAndar; David Neeleman, fundador da Azul; José Galló, executivo responsável pela ascensão da Renner; Guilherme Benchimol, fundador da XP Investimentos; Artur Grynbaum, CEO do Grupo Boticário; Sebastião Bonfim, criador da Centauro; e Edgard Corona, da rede Smart Fit.

Mariana Amaro

Editora de Negócios do InfoMoney e apresentadora do podcast Do Zero ao Topo. Cobre negócios e inovação.