Trump tem dois pontos de vantagem sobre Biden, mostra pesquisa Reuters/Ipsos

Cerca de 20% dos eleitores da pesquisa disseram que não escolheram um candidato

Reuters

Donald Trump e Joe Biden
 6/11/2023 e 1/3/2024   (Reuters/Brendan McDermid e Elizabeth Frantz)
Donald Trump e Joe Biden 6/11/2023 e 1/3/2024 (Reuters/Brendan McDermid e Elizabeth Frantz)

Publicidade

Donald Trump, candidato republicano na disputa presidencial dos Estados Unidos, abriu uma vantagem de 2 pontos percentuais sobre o presidente dos EUA, Joe Biden, esta semana, na corrida para vencer a eleição de novembro, à medida que os eleitores avaliam as recentes condenações criminais de Trump e do filho de Biden, de acordo com uma nova pesquisa Reuters/Ipsos.

Cerca de 41% dos eleitores registrados na pesquisa de dois dias, que foi encerrada na terça-feira, disseram que votariam em Trump se a eleição fosse hoje, enquanto 39% escolheram Biden, um democrata. Cerca de 20% dos eleitores da pesquisa disseram que não escolheram um candidato, estavam inclinados a opções de terceiros ou talvez não votem na eleição de 5 de novembro.

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de crescimento para os próximos meses e anos

Continua depois da publicidade

A liderança de Trump estava dentro da margem de erro de aproximadamente 3 pontos percentuais da pesquisa para os eleitores registrados, muitos dos quais permanecem indecisos a cerca de cinco meses da eleição. Uma pesquisa anterior da Reuters/Ipsos, realizada entre 31 de maio e 1º de junho, mostrou Biden com uma vantagem de 2 pontos percentuais sobre Trump, 41% a 39%.

A mais recente pesquisa revelou que 10% dos entrevistados escolheriam Robert Kennedy Jr., um ativista antivacina que concorre como independente, se ele estivesse na cédula com Trump e Biden. A participação de Kennedy não se alterou em relação à pesquisa anterior.

Embora as pesquisas nacionais forneçam sinais importantes sobre o apoio dos norte-americanos aos candidatos, apenas um punhado de Estados competitivos normalmente inclina a balança no colégio eleitoral dos EUA, que, em última análise, decide quem vence uma eleição presidencial.

Continua depois da publicidade

Ambos os candidatos têm responsabilidades significativas na primeira revanche da eleição presidencial dos EUA em quase 70 anos.

As desvantagens de Biden incluem preocupações com sua idade – 81 anos – bem como fortes críticas de uma parte do Partido Democrata sobre seu apoio à guerra de Israel contra os militantes do Hamas. Protestos agitaram as universidades dos EUA nos últimos meses, alimentando as preocupações entre os democratas de que alguns jovens eleitores poderiam se voltar contra Biden.

Biden tornou-se nesta semana o primeiro presidente dos EUA cujo filho foi condenado por um crime, embora a pesquisa Reuters/Ipsos tenha mostrado que poucos eleitores estavam mudando de opinião por conta da condenação.

Continua depois da publicidade

No mês passado, Trump se tornou o primeiro ex-presidente dos EUA a ser condenado por um crime, seja no cargo ou depois de deixar a Casa Branca. Ele deverá ser sentenciado em julho e enfrentará uma possível pena de prisão depois que um júri o considerou culpado de 34 acusações decorrentes de um pagamento a uma atriz de filmes adultos antes da eleição presidencial de 2016 em troca do silêncio dela sobre um suposto encontro sexual que ela diz ter tido com Trump.

A última pesquisa Reuters/Ipsos, que entrevistou adultos em todo o país, apontou que 80% dos eleitores registrados disseram que a condenação do filho de Biden, Hunter Biden, provavelmente não influenciaria seu voto, em comparação com 61% que disseram que a condenação de Trump não afetaria como eles votariam.

Trump, de 77 anos, também enfrenta três outros processos criminais que envolvem acusações de que ele tentou reverter sua derrota nas eleições de 2020 e de que lidou de forma indevida com documentos confidenciais depois de deixar a Presidência em 2021, embora disputas legais possam impedir que esses casos cheguem a julgamento antes da eleição de novembro. Trump se declarou inocente de todas as acusações.

Continua depois da publicidade

A pesquisa Reuters/Ipsos incluiu respostas de 930 eleitores registrados que foram entrevistados online.