Trump diz que retomará barreiras tarifárias contra a China se for eleito

Questionado se estaria considerando tarifas de 60%, republicano disse que "talvez seja mais do que isso"

Reuters

O ex-presidente Donald Trump (Photo by Joe Raedle/Getty Images)

Publicidade

O provável candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que voltará a impor tarifas à China, que poderão ultrapassar 60%, se for eleito em novembro. “Temos que fazer isso”, disse Trump em uma entrevista exibida neste domingo (4) na Fox News.

Questionado sobre uma notícia de que ele estaria considerando a imposição de tarifas de 60% sobre os produtos chineses caso fosse eleito, Trump disse: “Não, eu diria que talvez seja mais do que isso”.

Leia também:
Trump vence em New Hampshire, mas Haley promete lutar e mira a Carolina do Sul
Trump x Biden: como eleições nos EUA afetam investimentos lá fora em 2024?

Continua depois da publicidade

Durante seu mandato como presidente americano, Trump impôs diversas tarifas contra produtos chineses – e depois as elevou, tanto na quantidade quanto na alíquota. Mas o republicano perdeu a eleição de 2020 para o atual presidente dos EUA, o democrata Joe Biden, quanto tentou se reeleger.

Agora, Trump é o principal candidato à indicação do Partido Republicano para desafiar Biden novamente, na eleição de 5 de novembro.

Powell fora do Fed?
Na sexta-feira (2), o ex-presidente disse que não vai reconduzir Jerome Powell para um terceiro mandato à frente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano). “Não, eu não indicaria. Acho que ele é político. Acho que ele vai fazer algo para provavelmente ajudar os democratas, se ele reduzir as taxas de juros”, afirmou em entrevista à rede Fox Business.

O segundo mandato de quatro anos de Powell na presidência da autoridade monetária termina em 2026, no meio do mandato do próximo presidente dos EUA. Ele foi indicado pelo próprio Trump em 2018 e reconduzido ao cargo pelo atual presidente, o democrata Joe Biden, em 2022. Ele se esquivou, no enquanto, quando questionado sobre quem poderia suceder Powell no Fed. “Eu teria algumas opções. Não sei te dizer agora”.