Trégua falha e conflito é retomado em Gaza

Mediadores não conseguiram estender a trégua, buscando uma fórmula para que as libertações de reféns continuassem

Equipe InfoMoney

Helicóptero israelense dispara na fronteira com Gaza (Amir Cohen/Reuters)

Publicidade

Aviões de guerra israelenses voltaram a bombardear Gaza, os civis palestinos fugiram em busca de abrigo e as sirenes de foguetes soaram no sul de Israel nesta sexta-feira, quando a guerra recomeçou depois que uma trégua de uma semana acabou sem nenhum acordo para prorrogá-la.

Quando o prazo expirou, jornalistas da Reuters em Khan Younis, no sul de Gaza, viram áreas do leste sob intenso bombardeio, enviando colunas de fumaça para o céu. Os moradores saíram às ruas em busca de abrigo mais a oeste.

No norte do enclave, a principal zona de guerra durante semanas, enormes nuvens de fumaça subiram acima das ruínas, vistas do outro lado da cerca em Israel.

Continua depois da publicidade

Os militares israelenses anunciaram que haviam “retomado as operações de combate” e que seus aviões de guerra estavam atacando o enclave, acusando o Hamas de violar a trégua ao disparar foguetes e não libertar todas as mulheres que mantinha como reféns.

A pausa de sete dias, que começou em 24 de novembro e foi prorrogada duas vezes, permitiu a troca de reféns mantidos em Gaza por prisioneiros palestinos e facilitou a entrada de ajuda humanitária na faixa costeira destruída.

Oitenta mulheres e crianças israelenses reféns foram libertadas em troca de 240 palestinos detidos em prisões israelenses, todos mulheres e adolescentes. Outros 25 reféns estrangeiros, principalmente trabalhadores rurais tailandeses, também foram libertados em acordos paralelos.

Mas, na última hora, os mediadores não conseguiram estender a trégua, buscando uma fórmula para que as libertações de reféns continuassem, possivelmente incluindo homens israelenses, agora que menos mulheres e crianças permaneciam em cativeiro.

(Com Reuters)

Tópicos relacionados