Taiwan pede que OMS permita sua participação em todas as reuniões do órgão

O governo de Taiwan afirma que Pequim não tem o direito de falar em nome ou representar a ilha no cenário internacional

Reuters

Ministro das Relações Exteriores de Taiwan, Joseph Wu, em Taipé 08/08/2023 REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

Publicidade

(Reuters) – O ministro das Relações Exteriores de Taiwan, Joseph Wu, pediu à Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta quarta-feira (15) que permita que a ilha participe de todas as suas reuniões caso esteja levando a sério sua meta de “Saúde para Todos”, antes de uma cúpula importante da qual Taipé deseja participar.

Taiwan é excluída da maioria das organizações internacionais devido às objeções da China, que considera a ilha como parte de seu território.

A ilha participou da Assembleia Mundial da Saúde da OMS como observador de 2009 a 2016, durante o governo do então presidente Ma Ying-jeou, que assinou acordos comerciais e de turismo importantes com a China.

Continua depois da publicidade

Mas Pequim começou a bloquear a participação de Taiwan em 2017, depois que a presidente Tsai Ing-wen assumiu o cargo, por sua recusa em concordar com a posição chinesa de que tanto a China quanto Taiwan fazem parte de “uma só China”.

O Escritório de Assuntos sobre Taiwan da China disse na segunda-feira (13) que é culpa do partido governista de Taiwan o fato de a ilha não poder participar da assembleia da OMS, devido ao que chamou de “falta de base política”. O governo de Taiwan afirma que Pequim não tem o direito de falar em nome ou representar a ilha no cenário internacional.

Falando no Parlamento, Wu disse que o diretor-geral da OMS deve tomar a iniciativa de convidar Taiwan para participar da assembleia deste mês como observador.

Continua depois da publicidade

A OMS também deve “permitir que Taiwan participe plenamente de todas as reuniões, atividades e sistemas da OMS, para colocar em prática a carta da OMS de que a saúde é um direito humano básico e atingir em breve a meta de ‘Saúde para Todos'”, acrescentou.

Ele disse separadamente aos repórteres que Taiwan tem enfrentado um “nível muito alto de dificuldade” para participar da assembleia deste ano, mas disse que estava ganhando cada vez mais apoio dos países para sua proposta de receber um convite.

A OMS disse em uma declaração enviada por email que o status de observador de Taiwan é uma questão para os 194 membros considerarem e decidirem.

Continua depois da publicidade

A Assembleia Mundial da Saúde deste ano começa em 27 de maio, apenas uma semana após a posse do presidente eleito de Taiwan, Lai Ching-te.