Sem data para voltar, astronautas “presos no espaço” minimizam problemas em nave

Suni Williams e Barry Wilmore estão acoplados à estação espacial há mais de um mês

Bloomberg

Suni Williams e Butch Wilmore na Estação Espacial Internacional (Divulgação/Nasa)
Suni Williams e Butch Wilmore na Estação Espacial Internacional (Divulgação/Nasa)

Publicidade

Os astronautas da Nasa forçados a uma estadia mais longa do que o planejado no espaço afirmaram que estão certos de que sua espaçonave da Boeing os trará em segurança de volta à Terra, apesar de uma série de problemas técnicos que têm afetado a missão.

“Eu me sinto confiante de que, se fosse necessário — se houvesse um problema com a Estação Espacial Internacional – entraríamos em nossa espaçonave, conversaríamos com nossa equipe e descobriríamos a melhor maneira de voltar para casa”, disse Sunita “Suni” Williams, astronauta da Nasa e piloto da missão, em uma entrevista coletiva transmitida ao vivo do espaço na quarta-feira (10).

“Eu tenho um sentimento muito bom no meu coração de que a espaçonave nos trará para casa, sem problemas”, acrescentou Williams.

Continua depois da publicidade

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de crescimento para os próximos meses e anos 

Os comentários destacaram a incerteza persistente em relação à missão Starliner após vazamentos de hélio e falhas nos propulsores da cápsula — pequenos motores usados para manobrar a nave no espaço — terem atrapalhado os planos.

Williams e seu companheiro, o astronauta e comandante de voo Barry “Butch” Wilmore, estão acoplados à estação espacial há mais de um mês. A Nasa e a Boeing ainda não definiram uma data para o retorno deles.

Continua depois da publicidade

O gerente do programa da Nasa, Steve Stich, não se comprometeu com uma data de partida definitiva durante uma outra coletiva de imprensa, mas indicou que um retorno no final de julho pode ser possível. Se a Starliner não partir, Stich disse que a cápsula impediria outra missão programada para chegar à ISS em meados de agosto.

Os dois astronautas são os primeiros a voar para o espaço na cápsula, que foi projetada para transportar os astronautas da Nasa para e da ISS. A missão em andamento é um teste crítico para determinar se o veículo Starliner está pronto para realizar viagens tripuladas regulares ao espaço.

No entanto, o voo de teste do Starliner tem sido afetado por problemas contínuos. Após o lançamento ao espaço, a nave sofreu cinco vazamentos separados de hélio. Além disso, cinco dos propulsores da cápsula falharam e tiveram que ser reiniciados. A Nasa e a Boeing conseguiram colocar quatro dos propulsores novamente em funcionamento, enquanto um permanecerá desligado durante toda a missão.

Continua depois da publicidade

Engenheiros têm analisado os problemas enquanto o Starliner está acoplado à ISS. E em 28 de junho, a NASA e a Boeing anunciaram que conduziriam uma nova campanha de testes nas instalações de White Sands, no Novo México. O plano envolve a ativação de um propulsor semelhante ao que o Starliner usa para observar como ele se comportaria durante diferentes fases que a cápsula enfrentará no espaço.

Com base no que os engenheiros aprenderem com esse teste, a Nasa e a Boeing decidirão quando e como o Starliner retornará.

“Vamos aprender com isso”, disse Wilmore sobre os testes em White Sands. “E vamos incorporar novos processos, novos procedimentos que empregaremos, se necessário.”

Continua depois da publicidade

© 2024 Bloomberg L.P.