Papa alerta para “crise da democracia” no mundo e fala sobre perigo das ideologias

Francisco falou numa convenção anual católica romana sobre questões sociais

Reuters

Papa Francisco
05/06/2024
REUTERS/Yara Nardi
Papa Francisco 05/06/2024 REUTERS/Yara Nardi

Publicidade

O papa Francisco condenou a política populista e o que chamou de “escória da ideologia” neste domingo (7), alertando que a democracia não está em boa forma em muitas partes do mundo.

O papa de 87 anos estava na cidade de Trieste, no nordeste do país, para uma visita rápida, em sua quarta viagem à Itália em pouco mais de dois meses, enquanto se prepara para uma viagem de 12 dias pela Ásia em setembro, a mais longa do seu papado.

Falando numa convenção anual católica romana sobre questões sociais, Francisco disse que muitas pessoas se sentiam excluídas da democracia, com os pobres e os fracos deixados à própria sorte.

Continua depois da publicidade

“É evidente que a democracia não goza de boa saúde no mundo de hoje”, disse ele, condenando a polarização e o partidarismo.

“As ideologias são sedutoras. Algumas pessoas as comparam ao Flautista de Hamelin. Elas seduzem você, mas levam você a negar a si mesmo”, disse ele, referindo-se a um conto de fadas em que um caçador de ratos usa seus poderes mágicos para roubar as crianças de uma cidade.

Ele disse que a “crise da democracia” afligiu várias nações, mas não deu exemplos específicos.

Continua depois da publicidade

O papa falou no dia em que a França realiza o segundo turno das eleições parlamentares, com a expectativa de que o Reunião Nacional (RN), de extrema-direita, receba a maior parte dos votos, um mês depois de os partidos populistas terem obtido ganhos nas eleições da União Europeia.