Israel deve deixar de controlar Rafah para que fronteira volte a funcionar, diz Egito

Israel tomou toda a fronteira de Gaza com o Egito, incluindo a passagem, no mês passado

Reuters

Ministro do Egito Sameh Shoukry em Madri 3/6/2024 REUTERS/Susana Ver

Publicidade

A passagem de fronteira de Rafah, essencial para o fornecimento de ajuda a Gaza a partir do Egito, não poderá voltar a funcionar a menos que Israel abandone o controle e a devolva aos palestinos do lado de Gaza, disse o ministro das Relações Exteriores do Egito, Sameh Shoukry, nesta segunda-feira (03).

No mês passado, Israel tomou toda a fronteira de Gaza com o Egito, incluindo a passagem, durante sua ofensiva contra o Hamas na cidade de Rafah. A passagem também representa a única tábua de salvação para o mundo exterior para os 2,3 milhões de habitantes do território sitiado por Israel.

“É difícil que a passagem de Rafah continue funcionando sem uma administração palestina”, afirmou Shoukry em uma coletiva de imprensa com seu colega espanhol em Madri.

Continua depois da publicidade

Shoukry disse que o tratado de paz egípcio-israelense de 1979 continua sendo “uma base sólida para a segurança e a estabilidade na região e todos precisam considerar e tomar medidas responsáveis para preservar esse importante tratado”.

Seus comentários foram feitos em meio ao aumento das tensões após a morte de um soldado egípcio na semana passada em uma troca de tiros com as forças israelenses que, segundo fontes de segurança egípcias, cruzaram uma linha de fronteira ao perseguir e matar vários palestinos.

Duas fontes de segurança egípcias disseram que uma reunião no domingo com autoridades de Estados Unidos, Egito e Israel foi positiva, apesar de não haver acordo sobre a reabertura da passagem. A delegação do Egito na reunião disse que estaria aberta à presença de monitores europeus na fronteira para supervisionar sua operação pelas autoridades palestinas, caso as autoridades palestinas concordassem em retomar o trabalho.

Continua depois da publicidade

O ministro da Defesa de Israel, Yoav Gallant, declarou no domingo que as forças israelenses estavam tentando destruir os túneis entre Gaza e o Egito usados pelo Hamas para contrabandear armas ou, possivelmente, como um meio de escapar da guerra. O Egito negou a existência de tais túneis.

De acordo com o tratado de paz, Egito e Israel têm cooperado estreitamente em questões de segurança em torno das fronteiras entre Israel, a Península do Sinai egípcia e Gaza. Eles mantiveram conjuntamente um bloqueio de Gaza depois que o Hamas assumiu o controle do território em 2007.