Forças israelenses intensificam operações em Gaza pelas regiões norte e sul

Com alguns dos combates mais intensos das últimas semanas ocorrendo nas extremidades norte e sul de Gaza, grupos de ajuda humanitária alertam que a crise humanitária pode piorar drasticamente

Reuters

Palestinos fogem de Rafah, no sul de Gaza - 13/5/2024 (Reuters/Mohammed Salem)

Publicidade

Cairo (Reuters) – As forças israelenses se aprofundaram nas ruínas da extremidade norte de Gaza para recapturar uma área onde alegaram ter derrotado o Hamas meses atrás, enquanto na extremidade oposta do enclave, tanques e tropas atravessaram uma rodovia em direção a Rafah.

Com alguns dos combates mais intensos das últimas semanas ocorrendo nas extremidades norte e sul de Gaza, centenas de milhares de palestinos fugiram novamente, e grupos de ajuda humanitária alertam que a crise humanitária pode piorar drasticamente.

Israel descreveu seu mais recente retorno ao norte, onde retirou a maior parte de suas tropas há cinco meses, como parte de um estágio de “limpeza” da guerra para evitar que os combatentes retornem, e disse que essas operações sempre fizeram parte de seu plano.

Continua depois da publicidade

Os palestinos dizem que a necessidade de continuar lutando em meio às ruínas de batalhas anteriores é uma prova de que os objetivos militares de Israel são inatingíveis.

Na extensa Jabalia, o maior dos oito campos de Gaza, construído há 75 anos para abrigar refugiados palestinos do que hoje é Israel, os tanques avançaram em direção ao centro do distrito. Os moradores disseram que os projéteis dos tanques estavam aterrissando no centro do campo e que os ataques aéreos haviam destruído grupos de casas.

Grossas nuvens de fumaça preta das explosões podiam ser vistas subindo sobre o norte de Gaza a partir da fronteira israelense no domingo.

Continua depois da publicidade

As tropas israelenses estão tentando eliminar o Hamas, que afirmou estar comprometido com a destruição de Israel. O grupo militante invadiu Israel em 7 de outubro, matando 1.200 pessoas e fazendo mais de 250 reféns, de acordo com os registros israelenses.

O número de mortos palestinos na guerra já ultrapassou 35.000, segundo as autoridades de saúde de Gaza, que temem que muitos outros corpos estejam perdidos sob os escombros. Os combates devastaram o enclave costeiro e causaram uma profunda crise humanitária, com o Ministério da Saúde de Gaza alertando em um comunicado na segunda-feira que o sistema médico está à beira do colapso devido à escassez de combustível para geradores de energia e ambulâncias.

Autoridades de saúde palestinas disseram na segunda-feira que até o momento recuperaram 20 corpos de palestinos mortos nos ataques aéreos em Jabalia durante a noite, enquanto dezenas ficaram feridos.

Continua depois da publicidade

Na extremidade oposta de Gaza, em Rafah, contra a cerca da fronteira com o Egito, Israel intensificou os bombardeios aéreos e terrestres nas áreas orientais da cidade, matando pessoas em um ataque aéreo a uma casa no bairro Brasil.